Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quarta-feira, 24 de novembro

© REUTERS / MURAT CETİNMUHURDAR/PPOPresidente turco, Recep Tayyip Erdogan, discursa na reunião do Partido da Justiça e Desenvolvimento, Ancara, Turquia, 23 de novembro de 2021
Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, discursa na reunião do Partido da Justiça e Desenvolvimento, Ancara, Turquia, 23 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 24.11.2021
Nos siga noTelegram
Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta quarta-feira (24), marcada pelo convite dos EUA a Taiwan para participar da Cúpula pela Democracia, pelos protestos na Turquia após colapso da lira e pelo crescimento dos preços do petróleo apesar de anúncios de liberação de reservas por várias economias mundiais.

'PEC da Bengala': comissão da Câmara aprova proposta que dá a Bolsonaro mais 2 indicações no STF

Nesta terça-feira (23), a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou uma proposta que revoga a chamada "PEC da Bengala". A PEC foi promulgada em 2015 e prevê antecipar de 75 para 70 anos a idade de aposentadoria compulsória de ministros de tribunais superiores e do Tribunal de Contas da União. Além disso, a proposta concede ao presidente Jair Bolsonaro o direito de indicar mais dois ministros do STF, já que em caso de ser aprovada, a nova PEC permitiria a aposentadoria imediata de ministros Ricardo Lewandowski e Rosa Werber, ambos de 73 anos. A PEC foi aprovada por 35 votos a favor e 24 contra. "O que nós estamos sentindo é que o poder tem um prazo de validade", disse a deputada Bia Kicis, autora da PEC e aliada do chefe de Estado. Ela é também conhecida pelas críticas à atuação do Supremo Tribunal Federal.
© Folhapress / Pedro LadeiraMinistra Rosa Weber durante sessão plenária do STF
Ministra Rosa Weber durante sessão plenária do STF - Sputnik Brasil, 1920, 24.11.2021
Ministra Rosa Weber durante sessão plenária do STF

Mais de 50 cidades de SP cancelam Carnaval em 2022 por conta da pandemia da COVID-19

Ao menos 58 cidades do estado de São Paulo cancelaram o Carnaval no ano que vem por conta da pandemia de coronavírus. As prefeituras temem a chegada de nova onda da COVID-19 e decidiram não realizar eventos no próximo ano, como precaução. Também foi cancelado o tradicional Carnaval de São Luiz do Paraitinga. Assim, será o segundo ano consecutivo em que o evento não ocorrerá nesses municípios. Mesmo que os índices da doença demonstrem melhoras em comparação com os piores meses da pandemia, o momento é de cautela. Além disso, o cancelamento também é justificado pela situação econômica em alguns municípios, que alegam não ter verba para a festa. Porém, a capital paulista não rejeitou a realização do Carnaval. Entretanto, o Brasil confirmou mais 398 mortes e 19.842 casos de COVID-19, totalizando 613.240 óbitos e 22.038.731 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.
© Folhapress / Eduardo KnappCortejo do Galo da Madrugada toma a av. Pedro Álvares Cabral (zona sul de SP), 25 de fevereiro de 2020
Cortejo do Galo da Madrugada toma a av. Pedro Álvares Cabral (zona sul de SP), 25 de fevereiro de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 24.11.2021
Cortejo do Galo da Madrugada toma a av. Pedro Álvares Cabral (zona sul de SP), 25 de fevereiro de 2020

Cúpula pela Democracia: Biden convida Taiwan e ignora China e Rússia

A Administração Biden convidou Taiwan para participar da chamada Cúpula pela Democracia em dezembro, de acordo com uma lista de participantes publicada ontem (23). Tal passo provavelmente pode irritar a China, que vê a ilha como seu território. A lista de convidados divulgada pelo Departamento de Estado inclui 110 participantes. Segundo os organizadores, o evento visa ajudar a parar o retrocesso e a erosão dos direitos e liberdades em todo o mundo. Entretanto, a China e a Rússia não estão na lista. A cúpula vai ocorrer em formato virtual de 9 a 10 de dezembro, antes da reunião presencial em sua segunda edição, no próximo ano. Taiwan recebeu o convite em um momento em que a China tem aumentado a pressão sobre os países para que eles reduzam ou cortem as relações com a ilha, que Pequim não considera um país soberano. A lista mostra que o evento reunirá tanto democracias maduras, como França e Suécia, como países como as Filipinas, Índia e Polônia, onde ativistas afirmam que a democracia está ameaçada. A representação do Oriente Médio será modesta, com Israel e Iraque como únicos dois Estados convidados.
© REUTERS / Tyrone SiuBandeiras de Taiwan e EUA
Bandeiras de Taiwan e EUA - Sputnik Brasil, 1920, 24.11.2021
Bandeiras de Taiwan e EUA

Preços de petróleo crescem apesar de liberação de reservas por diversos países

Os preços do combustível seguem crescendo não obstante o anúncio da administração Biden de liberar uma parte de sua reserva de petróleo estratégica, nesta terça-feira (23), porque a demanda é ainda alta e o mercado esperava uma liberação maior por parte dos EUA, explicou à Sputnik Branko Terzic, ex-membro da Comissão Federal de Regulação da Energia americana. Ontem (23), o presidente Joe Biden anunciou a liberação de 50 milhões de barris de óleo das reservas americanas, o mesmo ocorrendo com outras grandes nações consumidoras da energia, incluindo China, Índia, Japão, Coreia do Sul e Reino Unido, com o objetivo de conter o crescimento dos preços do petróleo. O especialista explica: "Os preços nacionais atuais estão 30% acima dos do ano passado. Um aumento de mais 20% seria politicamente inaceitável para o consumidor. A administração Biden e os líderes do Partido Democrata no Congresso farão tudo o que puderem para evitar esse cenário de aumento de preço da gasolina". Entretanto, o preço médio do petróleo nos Estados Unidos caiu ligeiramente na terça-feira (23), de acordo com a Associação Americana de Automóveis.
© REUTERS / EVELYN HOCKSTEINPresidente dos EUA, Joe Biden, anuncia liberação de 50 milhões de barris de petróleo das reservas americanas, Casa Branca, Washington, 23 de novembro de 2021
Presidente dos EUA, Joe Biden, anuncia liberação de 50 milhões de barris de petróleo das reservas americanas, Casa Branca, Washington, 23 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 24.11.2021
Presidente dos EUA, Joe Biden, anuncia liberação de 50 milhões de barris de petróleo das reservas americanas, Casa Branca, Washington, 23 de novembro de 2021

Manifestantes na Turquia exigem demissão do governo após colapso da lira

As pessoas saíram às ruas de Istambul e Ancara para demandar a demissão do governo após o colapso recorde da lira turca, relatou na terça-feira (23) a mídia estatal. Ontem, a cotação da moeda nacional turca continuou sua queda para mínimos históricos, atingindo 12,04 por dólar americano (R$ 5,16). Os manifestantes gritavam slogans exigindo a demissão do governo e a saída do Partido da Justiça e Desenvolvimento do poder, de acordo com a emissora Halk TV. A polícia tomou medidas para dispersar os manifestantes. A taxa de câmbio da lira começou a cair em meados de outubro após a demissão de três funcionários do Banco Central da Turquia pelo presidente Recep Tayyip Erdogan, cujas medidas econômicas são amplamente vistas como tendo contribuído ao colapso da moeda nacional. Na segunda-feira (22), o presidente de novo chamou à redução dos juros de empréstimos em discurso televisionado. Perante esta situação, a oposição turca acusou Erdogan de incompetência e demandou eleições antecipadas. O presidente rejeitou a demanda, dizendo que as eleições presidenciais e parlamentares vão ocorrer como está planejado, em junho de 2023.
© REUTERS / DILARA SENKAYAPessoas trocam dinheiro em agência de câmbios em Istambul, Turquia, 23 de novembro de 2021
Pessoas trocam dinheiro em agência de câmbios em Istambul, Turquia, 23 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 24.11.2021
Pessoas trocam dinheiro em agência de câmbios em Istambul, Turquia, 23 de novembro de 2021

'Pegasus': empresa de espionagem israelense enfrenta risco de incumprimento após inclusão na lista negra nos EUA

A empresa israelense NSO Group, que comercializa o sofware de espionagem Pegasus, parece estar à beira do incumprimento de meio bilhão de dólares de dívida, calculado pela agência Moody's nesta terça-feira (23). A estimativa vem logo depois que os Estados Unidos incluíram a empresa na lista negra em novembro, argumentando que ela tem estado envolvida em atividades que ameaçam a segurança nacional americana. Enquanto isso, a Apple Inc disse ontem ter aberto uma ação judicial contra o NSO Group e sua parceira OSY Technologies por alegada vigilância de usuários americanos da Apple com seu spyware Pegasus. O produtor do iPhone anunciou que também quer impedir a empresa de usar qualquer software da Apple, serviços ou dispositivos para evitar mais abusos. A ação pela Apple é o caso mais recente em uma série de medidas de empresas e governos contra o NSO Group. A empresa israelense também enfrenta uma ação judicial e críticas por parte das companhias Microsoft Corp, Meta Platforms Inc, Alphabet Inc e Cisco Systems Inc. Ela está alegadamente envolvida em contornar a segurança dos produtos fabricados por essas empresas e a venda de ferramentas de hackeamento para governos estrangeiros.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала