Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

'Tática mais perigosa': líder da oposição australiana critica política do país a respeito de Taiwan

© AP PhotoPresidente taiwanesa, Tsai Ing-wen, e ex-primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, durante encontro em Taipé, Taiwan, 7 de outubro de 2021
Presidente taiwanesa, Tsai Ing-wen, e ex-primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, durante encontro em Taipé, Taiwan, 7 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 23.11.2021
Nos siga noTelegram
A líder da oposição no Senado australiano, Penny Wong, denunciou o governo de Scott Morrison nesta terça-feira (23), acusando-o de aumentar a perspectiva de guerra com a China para obter ganhos políticos.
A senadora classificou tal tática de "a mais perigosa" na história da Austrália, com consequências potencialmente "catastróficas para a humanidade".
"Este é o pior de uma série de casos do governo Morrison-Joyce tentando usar a política externa e a segurança nacional para vantagens políticas", disse ela ao discursar na Universidade Nacional Australiana hoje (23).
Wong concordou com o fato que a China mudou e que as relações bilaterais se tornaram mais difíceis de gerir, mas afirmou: "Jogando desesperadamente política na China sempre que ele [Morrison] está em apuros não faz nada para fortalecer a autoridade de Morrison perante australianos ou Pequim".
Quanto ao ministro da Defesa Peter Dutton, Wong manifestou que ele está "fora de sintonia com a estratégia há muito tempo adotada pela Austrália" quando Dutton disse que seria "inconcebível" para Camberra não se juntar aos EUA em uma guerra potencial contra China por Taiwan.
Na opinião de Wong, a declaração de Dutton em relação a Taiwan era "binária", bem como inflamatória, enquanto ela acredita que os países da região "não querem conflito, eles querem preservação do status quo como o melhor caminho para manter a paz e estabilidade".
Navios da Força Marítima de Autodefesa do Japão e da Marinha da Índia navegam em formação com o HMAS Warramunga, da Marinha Real Australiana, e o destróier de mísseis guiado USS Barry (DDG 52) da classe Arleigh Burke, durante exercícios Malabar-2021 em 27 de agosto de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 21.11.2021
Panorama internacional
Japão 'enviou sinais' de que participará de eventual guerra entre China e Taiwan, afirma mídia
Ao responder a Wong durante a sessão de perguntas, Dutton acusou a senadora de "ceder" à China "em um ato de fraqueza". O ministro reiterou sua declaração e acusou o Partido dos Trabalhadores da Austrália de tentar se afastar da aliança com os EUA.

"Quando se trata da defesa do nosso país, posso assegurar essa fraca líder de oposição que você não detém um adversário e você não mantém a paz em nossa região a partir de uma posição de fraqueza."

Ele relembrou que a situação em torno da ilha de Taiwan tem escalado nos últimos meses, sendo um território que Pequim considera parte de seu país, enquanto os EUA e Europa, oficialmente aderindo à política de Uma China, apoiam o governo da ilha eleito democraticamente que promete manter o status autônomo de Taiwan.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала