- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Longo caminho de luta e desafios pela frente: Dia da Consciência Negra no Brasil faz 50 anos

© REUTERS / Amanda PerobelliA trançadora de cabelo Tati Braz, 36, arruma o cabelo do filho, Akin, 7, depois de trançar um "antigo padrão da realeza africana" enquanto se senta com sua filha Asantewa, de 4, também trançada por ela, em São Paulo, Brasil, 8 de novembro de 2021
A trançadora de cabelo Tati Braz, 36, arruma o cabelo do filho, Akin, 7, depois de trançar um antigo padrão da realeza africana enquanto se senta com sua filha Asantewa, de 4, também trançada por ela, em São Paulo, Brasil, 8 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 20.11.2021
Nos siga noTelegram
A luta do movimento negro no Brasil é emblemática, uma vez que 56% da população brasileira é de origem negra e parda. Em meio a represárias e violência, o povo negro resiste e vem conquistando seu espaço.
Neste ano, se completam os 50 anos da Consciência Negra no Brasil, data importante que marca a luta do povo que representa grande parte da população brasileira.
A data foi instituída em 1970, quando jovens universitários negros sugeriam o 20 de novembro, dia da morte de Zumbi dos Palmares para celebração, a fim de destacar o protagonismo da luta dos ex-escravizados por liberdade e gerar reflexão para as questões raciais.
Mas como se encontra hoje a luta da população negra por seus direitos no Brasil? Um dos destaques desse ano foi o fato de, em 26 edições da Conferência do Clima das Nações Unidas (COP26), a presença significativa de organizações do movimento negro ter acontecido.
© Foto / Facebook / Coalizão Negra por DireitosGrupo Coalização Negra durante protesto na COP26, em Glasgow, Escócia
Grupo Coalização Negra durante protesto na COP26, em Glasgow, Escócia - Sputnik Brasil, 1920, 20.11.2021
Grupo Coalização Negra durante protesto na COP26, em Glasgow, Escócia
Além das lideranças indígenas, organizações da luta antirracista levantaram o debate sobre o genocídio em curso como efeito direto da crise climática. Os grupos ainda lançaram um manifesto em defesa da titulação de territórios quilombolas, segundo o G1.
Segundo a mídia, foi a primeira vez na história do movimento em que lideranças saíram em tour pelos Parlamentos de Paris, Madrid, Berlim e Munique para denunciar o racismo ambiental e a violência contra a população negra no Brasil.
Na ancestralidade das pessoas que lutam e suportam o movimento negro brasileiro hoje em dia, está o emblemático Quilombo dos Palmares, que foi refúgio para os povos escravizados no século XVII.
Localizado na Serra da Barriga, em União dos Palmares, Alagoas, o local que um dia esteve sob o comando do líder guerreiro Zumbi dos Palmares é hoje patrimônio internacional e destino turístico cada vez mais procurado.
© Folhapress / Leandro FerreiraCentenas de pessoas participaram do ato da Consciência Negra em Campinas (SP), na manhã deste sábado (20) , em Campinas, São Paulo
Centenas de pessoas participaram do ato da Consciência Negra em Campinas (SP), na manhã deste sábado (20) , em Campinas, São Paulo - Sputnik Brasil, 1920, 20.11.2021
Centenas de pessoas participaram do ato da Consciência Negra em Campinas (SP), na manhã deste sábado (20) , em Campinas, São Paulo
Entretanto, a luta negra no país ainda tem um longo caminho. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Estado do Rio de Janeiro citados pelo G1, nos últimos 15 anos, pessoas negras e pardas morreram 4,7 vezes mais do que brancas em ações da polícia no estado.
Os dados evidenciam que 72% de todos os óbitos causados por intervenção de agentes do Estado nesse período ocorreram com essa população.
De acordo com Cleber Ribeiro, coordenador-geral do Instituto Pensamentos e Ações para Defesa da Democracia (IPAD), o racismo estrutural faz com que pessoas negras sejam consideradas "corpos matáveis da sociedade".
"O cidadão, na sua definição, como alguém amparado por direitos, é endereçado apenas aos homens brancos. O negro, em grande parte periférico, é colocado distante do direito à vida de maneira muito contundente e imediata, o aproximando da iminência de morte, em suas múltiplas dimensões", afirma.
Além da violência, a população negra ainda enfrenta outros desafios no mercado de trabalho, uma vez que, de acordo com dados de 2020 colhidos pela PUC Rio Grande do Sul, trabalhadores negros recebem salário 17% menor que brancos com a mesma origem social, segundo o UOL.
O resultado mostrou que há diferenças no rendimento de brancos e negros, mesmo quando eles vêm de famílias com recursos econômicos e culturais semelhantes.
© Folhapress / Bruno Santos Manifestantes pintam frase #vidaspretasimportam na avenida Paulista (SP), em prostesto pelo alto índice de assassinatos de pessoas negras no Brasil (foto de arquivo)
Manifestantes pintam frase #vidaspretasimportam na avenida Paulista (SP), em prostesto pelo alto índice de assassinatos de pessoas negras no Brasil (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 20.11.2021
Manifestantes pintam frase #vidaspretasimportam na avenida Paulista (SP), em prostesto pelo alto índice de assassinatos de pessoas negras no Brasil (foto de arquivo)
Que nesse 50º aniversário da Consciência Negra, o Brasil possa se conscientizar e caminhar de forma mais igualitária e humanitária junto a parte da população que constitui 56% dos seus 212,6 milhões de habitantes.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала