Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Ataque contra base dos EUA na Síria teria sido ação de aliados do Irã, diz jornal

© AP Photo / Hammurabi's Justice NewsMilitares americanos e rebeldes do Maghaweer al-Thawra, apoiado pelos EUA, em Al-Tanf, no sul da Síria (foto de arquivo)
Militares americanos e rebeldes do Maghaweer al-Thawra, apoiado pelos EUA, em Al-Tanf, no sul da Síria (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 19.11.2021
Nos siga noTelegram
O ataque de drones de 20 de outubro contra a base militar norte-americana de Al-Tanf, no sul da Síria, foi conduzido por forças aliadas do Irã em retaliação a bombardeios israelenses na Síria, relataram ao jornal The News York Times oficiais anônimos dos EUA e Israel.
No ataque, que Washington rotulou de "deliberado e coordenado", não houve feridos. De acordo com um alto funcionário militar dos EUA, cinco drones "suicidas" foram lançados contra o complexo militar, no entanto apenas dois deles acabaram por explodir.
Alegadamente, os veículos aéreos não tripulados estavam "carregados com rolamentos de esferas e estilhaços com uma clara intenção de matar".
Oficiais acreditam que o Irã tinha instigado forças aliadas a realizarem o ataque, acrescentando que foi vingança pelos recentes bombardeios israelenses contra a província de Homs e várias outras áreas da Síria, bem como pelo assassinato de Medhat al-Saleh, alto funcionário do governo sírio, nas Colinas de Golã.
Bandeira israelense em frente à aldeia de Majdal Shams nas colinas de Golã controladas por Israel - Sputnik Brasil, 1920, 11.10.2021
Bennett diz que Colinas de Golã são israelenses mesmo que 'o mundo mude sua posição' quanto à Síria
A base militar de Al-Tanf que abriga tropas dos EUA, está localizada na província síria de Homs, na fronteira entre a Síria e a Jordânia.
No final de outubro, a guarnição foi atacada por drones, porém nenhum grupo reivindicou a responsabilidade. Washington confirmou o ataque, dizendo que se reserva o direito de retaliar.
Damasco tem repetidamente condenado tanto a presença militar americana na Síria como os ataques aéreos israelenses como graves violações de sua soberania, apelando à comunidade internacional a responsabilizar Israel.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала