Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Putin: Belarus não 'inventou' as crises migratórias na UE, suas causas foram criadas pelo Ocidente

© REUTERS / Ministério da Defesa da Polônia / HandoutMilitares poloneses guardam centenas de migrantes na fronteira entre a Polônia e a Belarus perto de Kuznica Bialostocka, Polônia
Militares poloneses guardam centenas de migrantes na fronteira entre a Polônia e a Belarus perto de Kuznica Bialostocka, Polônia - Sputnik Brasil, 1920, 13.11.2021
Nos siga noTelegram
Os próprios países ocidentais criaram as crises migratórias, afirmou o presidente russo Vladimir Putin em entrevista.
"Não devemos esquecer de onde vieram as crises relacionadas com os migrantes. Será que foi a Belarus que inventou estes problemas? Não, estas são razões que foram criadas pelos próprios países ocidentais, incluindo países europeus. [As crises] são de natureza política, militar e econômica", afirmou o presidente em entrevista ao canal de TV russo Rossiya 24.
A maneira como os migrantes são tratados na fronteira polonesa – os espancamentos, sirenes e tiros para o ar – não é compatível com os valores humanistas declarados pela União Europeia (UE), observou Putin.
"Ouvimos o tempo todo que as questões de natureza humanitária devem estar em primeiro lugar. Mas agora, quando na fronteira entre Belarus e a Polônia os guardas fronteiriços e efetivos das Forças Armadas polonesas espancam estes potenciais migrantes, disparam por cima de suas cabeças, ativam sirenes e luz à noite nos locais de seu acampamento, onde estão crianças e mulheres em meses finais de gravidez, tudo isso não se encaixa nas ideias humanistas que supostamente são a base de toda a política dos nossos vizinhos ocidentais", disse o presidente russo.
A solução da crise migratória na fronteira deve responder aos interesses tanto de Belarus, como da Polônia e União Europeia, e o contato direto nesta questão poderia ajudar, sublinhou.
O líder russo também adicionou que devem ser criadas condições para criar empregos para os migrantes e resolver outras questões que ainda estão suspensas. Por exemplo, Putin disse que Lukashenko lhe informou que as negociações sobre o alojamento de migrantes e a construção de campos para refugiados estão paradas. Segundo Putin, esses contatos diretos entre países europeus devem ajudar a resolver todas essas questões.

Rússia não tem nada a ver com a crise na fronteira entre Polônia e Belarus

A Rússia nada tem a ver com a crise migratória na fronteira entre a Belarus e a Polônia, mas há quem tente, sem qualquer razão, responsabilizar Moscou, comentou o líder russo.
"Quero que todos saibam que não temos nada a ver com isso. No entanto, tentam sempre nos responsabilizar sem qualquer justificação. […] Mais uma vez, gostaria de salientar que a Rússia não tem nada a ver com isso, não estamos envolvidos de modo algum em nenhum dos processos", explicou Putin.
Ele declarou que as autoridades policiais e serviços secretos europeus devem trabalhar, nas questões da imigração, com os países de onde os migrantes querem ingressar na UE, incluindo a Belarus.
Teoricamente, o presidente belarusso Aleksandr Lukashenko pode ordenar o corte do trânsito de gás russo para a Europa, embora isso seja uma violação do contrato, comentou Putin, manifestando a esperança de que não chegue a esse ponto.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала