G20 publica comunicado sobre resultados da cúpula em Roma

© REUTERS / Aaron ChownMark Rutte e Boris Johnson, primeiros-ministros dos Países Baixos e Reino Unido, respetivamente, falam durante cúpula do G20 no centro de conferências La Nuvola em Roma, Itália, 31 de outubro de 2021
Mark Rutte e Boris Johnson, primeiros-ministros dos Países Baixos e Reino Unido, respetivamente, falam durante cúpula do G20 no centro de conferências La Nuvola em Roma, Itália, 31 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 31.10.2021
Nos siga noTelegram
A cúpula do G20 apontou vários objetivos a curto e mais longo prazo com o objetivo de desenvolver as economias mundiais e trabalhar para resolver os problemas existentes.
Os líderes do G20 acordaram no domingo (31), durante a cúpula do grupo, retomar viagens internacionais, procurando torná-las seguras e organizadas em conformidade com o trabalho das organizações internacionais.
"Nós nos esforçaremos em retomar as viagens internacionais de modo seguro e organizado, em conformidade com o trabalho de organizações internacionais, tais como a OMS, OACI [Organização da Aviação Civil Internacional], OMI [Organização Marítima Internacional] e OCDE", indica o comunicado da cúpula.
A declaração do G20 expressa preocupação pelos efeitos econômicos da pandemia da COVID-19. Apesar da recuperação mundial em 2021, ela é altamente variável entre os países e dentro deles, pelo que é necessário seguir usando todos os instrumentos disponíveis para apoiar as economias, disse o G20.
© Sputnik / Yevgeny Paulin / Abrir o banco de imagensVladimir Putin, presidente da Rússia, fala durante videoconferência do grupo G20 sobre questões da economia e da saúde mundiais
Vladimir Putin, presidente da Rússia, fala durante videoconferência do grupo G20 sobre questões da economia e da saúde mundiais - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Vladimir Putin, presidente da Rússia, fala durante videoconferência do grupo G20 sobre questões da economia e da saúde mundiais
"Continuamos profundamente preocupados com o efeito da crise no desenvolvimento sustentável, especialmente nos países em desenvolvimento, o que já desacelerou o progresso para atingir os objetivos da Agenda 2030 de desenvolvimento sustentável. Confirmamos nosso compromisso com a reação global para a aceleração do progresso para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável e apoio à recuperação sustentável e abrangente da economia mundial", diz o comunicado.
Assim, os representantes do G20 concordaram em aumentar o fornecimento de vacinas contra o SARS-CoV-2 aos países em desenvolvimento.
"Tomaremos passos para ajudar a aumentar o fornecimento de vacinas, suprimentos médicos básicos e recursos aos países em desenvolvimento e a eliminar as limitações correspondentes na área do fornecimento e financiamento", afirma a declaração.
O comunicado também abordou a questão dos migrantes, exortando à sua inclusão nos países, e ao mesmo tempo procurando deter movimentos de imigração ilegal. Também foi expressa a necessidade de reforçar as medidas de combate à perda da biodiversidade mundial até 2030, particularmente pela Convenção sobre Diversidade Biológica, que engloba todos os Estados-membros da ONU, menos os EUA, e alguns países não pertencentes às Nações Unidas.
A cúpula do G20 decorre no sábado (30) e domingo (31) em Roma, Itália, envolvendo os países com as maiores economias do mundo. O grupo foi criado em 1999 por iniciativa dos EUA e do Canadá, tornando-se uma cúpula anual da qual participam os líderes e os ministros das Finanças de 19 países: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Austrália, Argentina, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, EUA, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia, Turquia, além da União Europeia.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала