Enxame de águas-vivas atinge usina nuclear no Reino Unido, levando a inativação de emergência

© Foto / Charlotte LawsonPraias no estado de Queensland, Austrália. As praias aqui estão cheias de cobras e águas-vivas, que fazem o litoral parecer um tapete de bolhas.
Praias no estado de Queensland, Austrália. As praias aqui estão cheias de cobras e águas-vivas, que fazem o litoral parecer um tapete de bolhas. - Sputnik Brasil, 1920, 31.10.2021
Nos siga noTelegram
A usina nuclear Torness, no Reino Unido, teve que se defender de um enorme enxame de águas-vivas, provavelmente atraídas pela água quente que rodeia a saída de descarga da usina.
A usina nuclear, localizada na costa perto da cidade de Dunbar, na Escócia, foi forçada a desativar seus dois reatores depois que um enxame de águas-vivas foi visto dentro do coletor de água, segundo The Bulletin of the Atomic Scientists.
As águas-vivas foram sugadas para dentro dos filtros que limpam a água do mar que resfria os reatores e os protegem de outros habitantes marinhos e algas.
A usina contratou uma empresa privada, RUAS, que fornecerá drones para monitorar a área em redor da usina para detectar as águas-vivas antes que elas se aproximem demais.
"A operação bem-sucedida [dos drones] nos permitirá detectar ameaças de entradas marinhas em uma fase anterior e evitar a interrupção da usina", disse Monica Rivas Casado, professora sênior em monitoramento ambiental.
Os reatores foram desativados para evitar seu superaquecimento devido à falta de água e sua reativação "é cara e demorada".
O mesmo tipo de incidente ocorreu em 2011, quando a equipe da usina percebeu que o fluxo de entrada de água estava reduzindo. Enxames de águas-vivas também foram responsáveis pela paralisação de usinas nucleares em Israel, Japão, Estados Unidos, Filipinas, Coreia do Sul e Suécia.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала