CIA admite que muitos informantes estrangeiros são capturados, mortos ou comprometidos, diz mídia

© REUTERS / Evelyn HocksteinPresidente dos EUA, Joe Biden, visita o Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional, em McLean, Virgínia , Estados Unidos. 27 de julho de 2021
Presidente dos EUA, Joe Biden, visita o Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional, em McLean, Virgínia , Estados Unidos. 27 de julho de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 06.10.2021
Nos siga noTelegram
Funcionários da contrainteligência dos EUA disseram em uma carta secreta enviada a todas as suas bases no mundo que muitos agentes recrutados em outros países vão se perdendo, segundo uma mídia.
A Agência Central de Inteligência dos EUA (CIA, na sigla em inglês) enviou na semana passada a seus escritórios em outros países uma carta em que adverte sobre uma perda crescente de informantes locais, informou The New York Times, citando várias pessoas familiarizadas com o assunto.
A carta da CIA faz referência a dezenas de colaboradores estrangeiros presos ou até assassinados. Há também outras pessoas que foram comprometidas ou convertidas em agentes duplos em benefício de serviços secretos de outros países, como o Irã, Rússia e China.
Ao mesmo tempo, a CIA sublinhou que é difícil recrutar novos informantes. O problema fundamental é que os agentes da CIA subestimam as capacidades dos serviços de contrainteligência de outros países.
A carta enviada também critica a baixa competência técnica de seus próprios agentes e sua confiança excessiva em suas fontes, conforme a mídia.
Quanto às razões objetivas do atual pior desempenho dos espiões norte-americanos, a agência afirmou que isso está ligado ao maior desenvolvimento de seus adversários. Em particular, aponta que o uso de escaneamento biométrico, reconhecimento facial, inteligência artificial e hacking facilitou a localização de seus agentes fora dos EUA.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала