- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta terça-feira, 14 de setembro

© AFP 2022 / Presidência do EgitoPresidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, e premiê de Israel, Naftali Bennett, na cidade de Sharm El-Sheikh, Egito, 13 de setembro de 2021
Presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, e premiê de Israel, Naftali Bennett, na cidade de Sharm El-Sheikh, Egito, 13 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 14.09.2021
Nos siga noTelegram
Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta terça-feira (14), marcada pela redução do risco de viagens ao Brasil pelos EUA, pela reunião entre os presidentes russo e sírio, Putin e al-Assad, e pela primeira visita do premiê israelense Bennett ao Egito.

EUA reduzem grau de alerta para viagens para o Brasil devido ao coronavírus

Nesta segunda-feira (14), o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos EUA reduziu o grau de risco para os americanos que planejam uma viagem ao Brasil devido à situação da COVID-19. Assim, a entidade categorizou o perigo como "alto", em vez de "muito alto", como era na classificação antiga. Antes, o órgão orientava que os turistas norte-americanos "evitassem" ao máximo viajar para o Brasil. Agora, com alteração do nível de perigo, eles devem "reconsiderar" seus planos de visitar o país. Mesmo assim, o CDC aponta que a situação atual no Brasil ainda não está boa, tendo em conta os números consideráveis de mortos e de contágio pelo coronavírus. Por isso, o órgão alerta que os viajantes devem estar totalmente vacinados, e aconselha evitar a viagem aos que não estão imunizados, caso não seja essencial. Entretanto, o Brasil confirmou mais 256 mortes e 8.280 casos de COVID-19, totalizando 587.138 óbitos e 21.005.064 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.
© Folhapress / Raul SpinasséMovimentação de passageiros no Aeroporto Internacional de Brasília (DF)
Movimentação de passageiros no Aeroporto Internacional de Brasília (DF) - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Movimentação de passageiros no Aeroporto Internacional de Brasília (DF)

TSF condena ex-vereadora por participar de esquema de rachadinha, tornando-a inelegível

Nesta segunda-feira (14), o Tribunal Superior Federal condenou por unanimidade a vereadora Maria Helena Pereira Fontes, acusada de participação de um esquema de rachadinha. O ministro Alexandre de Moraes, que é relator do caso, constatou que essa prática criminosa configura uma "clara e ostensiva modalidade de corrupção". Moraes votou a favor da inelegibilidade da ex-parlamentar, bem como outros seis ministros da corte eleitoral. Com a decisão, o mandato da vereadora ficará indeferido. Ainda em seu voto, Moraes salientou que "agente público que pratica rachadinha não só deve ser condenado por improbidade administrativa e na seara criminal, mas deve ficar inelegível nos termos da lei da ficha limpa", citado pelo jornal Folha de São Paulo. O esquema é caracterizado pelo desvio em parte de salários dos funcionários públicos a favor de um mandatário público. O julgamento contra Maria Helena Pereira Fontes foi iniciado em abril, mas foi concluído recentemente. O filho do presidente, Flávio Bolsonaro, também é alvo de investigação da mesma prática.
© Folhapress / Cleo VelledaVereadora do PL Maria Helena Pereira Fontes durante cerimônia de posse dos vereadores na Prefeitura, 1º de janeiro de 1997
Vereadora do PL Maria Helena Pereira Fontes durante cerimônia de posse dos vereadores na Prefeitura, 1º de janeiro de 1997 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Vereadora do PL Maria Helena Pereira Fontes durante cerimônia de posse dos vereadores na Prefeitura, 1º de janeiro de 1997

Putin tem encontro com Assad: 'Bolsões de terrorismo permanecem na Síria'

Os presidentes russo e sírio, Vladimir Putin e Bashar al-Assad, se reuniram na segunda-feira (13) em Moscou. As negociações ocorreram no Kremlin. Al-Assad fez uma visita sem anúncio prévio. Putin parabenizou seu homólogo pela vitória na eleição presidencial em maio, notando que os cidadãos da Síria associam a volta à vida normal com al-Assad. Um dos assuntos principais do encontro foi o tema de terrorismo: "Infelizmente, ainda existem bolsões de resistência por parte de terroristas, que não apenas controlam certos territórios, mas também continuam terrorizando civis", disse Putin. Mesmo assim, ele prosseguiu que "as pessoas estão ativamente restaurando suas casas, ativamente trabalhando para voltar a uma vida pacífica no sentido pleno da palavra". "Nossos dois exércitos, russo e sírio, atingiram resultados significativos não só na libertação dos territórios ocupados tomados por militantes e na destruição do terrorismo, mas também contribuíram para a volta dos refugiados que foram forçados a deixar suas casas, deixar sua pátria", admitiu al-Assad, acrescentando que "nossos exércitos, posso constatar, deram uma enorme contribuição para proteção de toda a humanidade desse mal". Adicionalmente, o presidente russo afirmou que o principal problema da Síria é a presença ilegítima de forças armadas estrangeiras, que não permitem que o país se mova rumo à consolidação. Além do mais, Vladimir Putin notou o desenvolvimento dos laços comerciais e econômicos entre os dois Estados, constatando que na primeira metade de 2021 o comércio entre a Rússia e a Síria cresceu 250%.
© Sputnik / Mikhail KlementievPresidente da Rússia, Vladimir Putin, e presidente da Síria, Bashar al-Assad, durante o encontro em Moscou, 13 de setembro de 2021
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e presidente da Síria, Bashar al-Assad, durante o encontro em Moscou, 13 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e presidente da Síria, Bashar al-Assad, durante o encontro em Moscou, 13 de setembro de 2021

Premiê de Israel qualifica 1º encontro com presidente do Egito como 'muito bom'

O primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, em sua primeira visita a Sharm El-Sheikh, no Egito, contou que as conversações com o presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi foram importantes e boas, conforme o comunicado do Escritório do premiê na segunda-feira (13). "Eu acabei de terminar o primeiro encontro com o presidente do Egito. A reunião foi muito importante e muito boa. Durante o encontro, em primeiro lugar e acima de tudo, criamos uma base para laços profundos no futuro. Nós discutimos uma série de assuntos nos âmbitos diplomático, econômico e de segurança, bem como os caminhos para aprofundar os laços e fortalecer os interesses de nossos países", afirmou Bennett citado no comunicado. O premiê israelense também ressaltou o papel significativo do Egito na "manutenção da estabilidade de segurança na Faixa de Gaza e no descobrimento de uma solução para a questão dos cativos e desaparecidos", expressando sua vontade de reforçar ainda mais os laços entre os países. O presidente egípcio recebeu o primeiro-ministro israelense dez dias depois de manter conversações com o líder palestino Mahmoud Abbas. O último encontro entre um líder egípcio e um primeiro-ministro israelense foi em janeiro de 2011, quando Hosni Mubarak recebeu Benjamin Netanyahu. Em maio, o Egito participou na mediação de um cessar-fogo entre Israel e o grupo islâmico palestiniano Hamas, quando fortes combates eclodiram no território disputado.
© REUTERS / Presidência do EgitoPresidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, e premiê de Israel, Naftali Bennett, na cidade de Sharm El-Sheikh, Egito, 13 de setembro de 2021
Presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, e premiê de Israel, Naftali Bennett, na cidade de Sharm El-Sheikh, Egito, 13 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, e premiê de Israel, Naftali Bennett, na cidade de Sharm El-Sheikh, Egito, 13 de setembro de 2021

Guterres defende 'linha de vida' para Afeganistão e envolvimento com Talibã

O secretário-geral da ONU, António Guterres, exortou na segunda-feira (13) a comunidade internacional para se engajar com o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) e fornecer uma "linha de vida" de ajuda, desesperadamente necessária para os afegãos. Guterres foi a Genebra para presidir a uma conferência de doadores destinada a angariar dinheiro para o Afeganistão, tomado pelos talibãs no mês passado. Conforme o chefe humanitário da ONU, Martin Griffiths, os países doadores prometeram um total de US$ 1,2 bilhão (R$ 6,26 bilhões) em ajuda. Guterres disse acreditar que a ajuda poderia ser usada como alavanca para obter melhorias nos direitos humanos. "É importantíssimo engajar com o Talibã no momento atual." Além disso, ele instou que as nações "procurem caminhos para permitir uma injeção de capital na economia afegã", a fim de evitar um colapso definitivo que teria "consequências devastadoras" para o Afeganistão e a região mais ampla. "Eu não acho que, se as autoridades de um país de fato se comportam mal, a solução seja fazer uma punição coletiva para seu povo", afirmou.
© REUTERS / Denis BalibouseSecretário-geral da ONU, António Guterres, durante conferência sobre a situação no Afeganistão em Genebra, Suíça, 13 de setembro de 2021
Secretário-geral da ONU, António Guterres, durante conferência sobre a situação no Afeganistão em Genebra, Suíça, 13 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Secretário-geral da ONU, António Guterres, durante conferência sobre a situação no Afeganistão em Genebra, Suíça, 13 de setembro de 2021

Diplomatas do Japão, EUA e Coreia do Sul acordam cooperação sobre Coreia do Norte

Altos diplomatas do Japão, Estados Unidos e Coreia do Sul acordaram, durante um encontro trilateral em Tóquio, continuar a interação a respeito de desnuclearização norte-coreana por meio da combinação de um diálogo com Pyongyang com a pressão de sanções, informou na terça-feira (14) a agência de notícias Kyodo, citando fontes. Do encontro participaram o enviado especial norte-americano para a Coreia do Norte, Sung Kim, o chefe do Departamento de Assuntos Asiáticos e Oceânicos do MRE japonês, Takehiro Funakoshi, e o enviado especial para a paz e segurança na península coreana do MRE sul-coreano, Noh Kyu-duk. Um dos assuntos principais da discussão foi a resposta possível ao anúncio do lado norte-coreano sobre o sucesso dos testes de um novo míssil. Na segunda-feira (13), foi relatado sobre testes bem-sucedidos de um míssil de cruzeiro de longo alcance na Coreia do Norte. Em particular, os militares realizaram testes de propulsão dos motores de mísseis em terra, ensaios de voo, ensaios de controle e de orientação, entre outros. Os mísseis de cruzeiro são capazes de atingir alvos à distância de 1.500 quilômetros,conforme dados dos especialistas.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала