Primeiros nativos dos EUA eram 'sofisticados engenheiros' de estruturas 'indestrutíveis', diz estudo

Monte em Poverty Point - Sputnik Brasil, 1920, 06.09.2021
Nos siga noTelegram
Acreditava-se que os primeiros nativos americanos eram "simples" caçadores e coletores, mas a nova descoberta poderia mudar essa teoria.
Os nativos americanos, que ocuparam uma área conhecida como Poverty Point na Louisiana atual há mais de 3.000 anos, eram "engenheiros altamente qualificados capazes de construir massivas estruturas de terra" em curtos períodos de tempo e que se conservaram até hoje, segundo um novo estudo dirigido por um grupo de pesquisadores da Universidade de Washington em St. Louis, nos EUA.
Até agora se acreditava que neste sítio arqueológico viveram "simples" caçadores e coletores; os primeiros habitantes do que hoje são os Estados Unidos. Em Poverty Point ressalta um monte que se eleva mais de 20 metros e aterros. Essas estruturas foram levantadas há aproximadamente 3.400 anos com mais de 1,5 milhão de metros cúbicos de terra, sem ajuda de animais domesticados nem carros.
Pesquisa do monte de Poverty Point ajuda a quebrar velhos paradigmas
Os autores do novo estudo, publicado na revista Southeastern Archaeology, realizaram uma escavação em uma área do sítio e, utilizando técnicas que incluem datação por radiocarbono, medições magnéticas e análise microscópica do solo, determinaram que as estruturas foram levantadas em meses ou até semanas.
Além disso, não foram observados sinais de erosão entre os diferentes níveis e camadas de terra dos montes, o que significa que durante a construção não houve pausas.

'Há algo de magia aqui'

"Os nativos americanos descobriram formas sofisticadas de misturar diferentes tipos de materiais para os tornar praticamente indestrutíveis, apesar de não serem compactados. Há algo de magia aqui que nossos engenheiros modernos ainda não puderam decifrar", disse o autor principal da pesquisa, Tristram Kidder.
"Uma das coisas mais notáveis é que estes movimentos de terra se mantiveram compactos durante mais de 3.000 anos sem falhas nem erosões importantes, se se tiver em conta que construir coisas com terra é mais complicado do que parece. Em comparação, as pontes, estradas e barragens modernas apresentam falhas com uma regularidade assombrosa. Realmente, eram engenheiros incríveis com conhecimentos técnicos muito sofisticados", destacou.
Segundo o pesquisador, o sítio arqueológico havia servido de lugar religioso importante, mas foi abandonado há uns 3.200-3.000 anos, provavelmente devido a inundações e mudanças climáticas.
Kidder também ressalta que a construção dessas estruturas teria exigido uma grande quantidade de mão de obra bem organizada e sua respectiva liderança, duas características que não são normalmente atribuídas às comunidades de caçadores e coletores.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала