MRE russo: EUA querem vingar morte de soldados porque sua 'anterior missão de vingança fracassou'

© REUTERS / Comando Central dos EUAMilitares dos EUA fazem a segurança do Aeroporto Internacional de Cabul, Afeganistão
Militares dos EUA fazem a segurança do Aeroporto Internacional de Cabul, Afeganistão - Sputnik Brasil, 1920, 05.09.2021
Nos siga noTelegram
Ao anunciar suas intenções de vingar a morte dos soldados americanos no atentado no aeroporto de Cabul, os EUA querem retaliar por seus próprios fracassos no Afeganistão, considera Maria Zakharova, representante oficial da chancelaria russa.
No dia 26 de agosto, 13 militares norte-americanos morreram junto com dezenas de civis afegãos na sequência de vários atentados no aeroporto internacional de Cabul. No mesmo dia o presidente dos EUA Joe Biden prometeu "caçar" os responsáveis.
Mais tarde, o Estado Islâmico-Khorasan (EI-K), um ramo do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países), que atua no Afeganistão e Paquistão, assumiu a responsabilidade pelos ataques.
"Já estamos ouvindo declarações de Washington de que eles vão se vingar pelo que foi feito em Cabul perto do aeroporto, no aeroporto, quando cidadãos americanos foram mortos, lá morreram cidadãos afegãos também […] Devemos recordar que os EUA estavam lá precisamente com uma missão de vingança, por 20 anos eles estiveram realizando precisamente essa missão de vingança. Portanto, acontece que eles agora vão se vingar pelo fracasso de sua missão de vingança anterior", afirmou Zakharova.
© AP Photo / Carolyn KasterPresidente Joe Biden e primeira-dama Jill Biden olham para um caixão com os restos de um soldado americano transportado do Afeganistão, base aérea de Dover, EUA, 29 de agosto de 2021
Presidente Joe Biden e primeira-dama Jill Biden olham para um caixão com os restos de um soldado americano transportado do Afeganistão, base aérea de Dover, EUA, 29 de agosto de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Presidente Joe Biden e primeira-dama Jill Biden olham para um caixão com os restos de um soldado americano transportado do Afeganistão, base aérea de Dover, EUA, 29 de agosto de 2021
Anteriormente, o presidente russo Vladimir Putin disse que Moscou não planeja se envolver no conflito armado no Afeganistão.
No início de agosto, o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) intensificou seus ataques contra as forças do governo afegão. O grupo entrou em Cabul, a capital do país, em 15 de agosto, assumindo o controle do palácio presidencial no dia seguinte e declarando que a guerra no Afeganistão havia terminado e que logo seria estabelecida uma nova forma de governo do país.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала