EUA ponderam estender programa exclusivo de compartilhamento de inteligência à Coreia do Sul

© REUTERS / Song Kyung-seokVice-secretária de Estado dos EUA Wendy Sherman e o chanceler sul-coreano Chung Eui-yong antes da reunião no MRE em Seul, Coreia do Sul, 22 de julho de 2021
Vice-secretária de Estado dos EUA Wendy Sherman e o chanceler sul-coreano Chung Eui-yong antes da reunião no MRE em Seul, Coreia do Sul, 22 de julho de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 01.09.2021
Nos siga noTelegram
Um projeto de lei da Casa dos Representantes dos EUA, solicitaria à administração norte-americana ponderar o alargamento de seu programa de compartilhamento de inteligência à Coreia do Sul.
O projeto de lei de Autorização de Defesa Nacional para o ano fiscal de 2022, apresentado pelo subcomitê de inteligência e operações especiais, procura expandir o grupo FVEY (Five Eyes, ou "cinco olhos", em português) - programa de compartilhamento de inteligência dos EUA e composto atualmente pela Austrália, Reino Unido, Canadá e Nova Zelândia.
"O comitê insta o diretor de Inteligência Nacional, em coordenação com o secretário de Defesa, a fornecer um relatório ao Comitê de Serviços Armados da Câmara, ao Comitê de Serviços Armados do Senado e aos comitês de inteligência do Congresso, no máximo até dia 20 de maio de 2022, sobre os atuais acordos de inteligência e compartilhamento de recursos entre os EUA e os Estados da Austrália, Canadá, Nova Zelândia e Reino Unido; bem como oportunidades para expandir o compartilhamento de inteligência com a Coreia do Sul, Japão, Índia e Alemanha", solicitou o subcomitê, citado pela agência Yonhap News.
O Comitê de Serviços Armados da Câmara começou a rever o projeto de lei nesta quarta-feira (1º), juntamente com outros projetos apresentados por outros subcomitês.
O projeto de lei do subcomitê de inteligência, se for incluído na minuta final e, posteriormente, promulgado, exigiria que o governo dos EUA estudasse os benefícios da expansão do acordo FVEY, "incluindo a natureza dos conhecimentos com que cada um desses países possa de contribuir", indica a mídia.
Tal projeto também procura exigir ao comandante do Comando Indo-Pacífico (INDOPACOM, na sigla em inglês) dos EUA, em consulta com o comandante das Forças dos EUA na Coreia (USFK, na sigla em inglês), que apresente um relatório sobre as capacidades e atividades de coleta de informações dos EUA na área de operações das USFK.
De acordo com a Yonhap News, a Coreia do Sul e os EUA estão cooperando estreitamente no campo da inteligência militar, fortalecendo sua aliança de mais de sete décadas.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала