Secretário-geral da ONU insta todos os países a acolherem refugiados afegãos e evitarem deportar

© Sputnik / Aleksei MaishevSecretário-geral da ONU, António Guterres, durante coletiva de imprensa conjunta com chanceler russo em Moscou, 12 de maio de 2021
Secretário-geral da ONU, António Guterres, durante coletiva de imprensa conjunta com chanceler russo em Moscou, 12 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 16.08.2021
Nos siga noTelegram
Todos os países devem estar dispostos a receber refugiados afegãos e devem se abster de quaisquer deportações, afirmou o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, nesta segunda-feira (16).

Guterres instou todas as entidades no Afeganistão que proporcionem acesso imediato de ajuda humanitária ao país.

O chefe da ONU apelou a todo o mundo que trabalhassem juntos para "suprimir a ameaça terrorista global no Afeganistão" e instou todos os países a estarem "dispostos a receber refugiados afegãos e a se absterem de quaisquer deportações" em seu discurso ao Conselho de Segurança da ONU.

"A comunidade internacional deve se unir para garantir que o Afeganistão nunca mais será usado como plataforma ou um porto seguro para organizações terroristas", declarou Guterres.

De igual modo, os EUA também apelaram ao Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países) que permitisse às organizações humanitárias continuarem seu trabalho no país, informou a representante permanente dos EUA nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, nesta segunda-feira (16).

"Apelamos também ao Talibã que permita que as organizações humanitárias continuem seu valioso trabalho no Afeganistão [...] Estamos profundamente preocupados com o fato de neste momento a ajuda não estar sendo levada para as pessoas em dificuldades. De acordo com o Programa Alimentar Mundial, mais de 500 toneladas de ajuda estão atualmente retidas nos postos fronteiriços tomados pelas forças do Talibã", disse a representante norte-americana.

Concordando com a posição de António Guterres, Thomas-Greenfield adicionou que "todos os cidadãos afegãos e cidadãos internacionais que desejem sair [do país] devem poder fazer isso em segurança".

Desde que o presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou a retirada das forças norte-americanas e aliadas do Afeganistão, em 2 de julho deste ano, o país sofreu uma intensa ofensiva por parte do Talibã. Por fim, no domingo (15), o grupo insurgente obteve sucesso na tomada de controle de Cabul, seguida pela renúncia de seu ex-presidente Ashraf Ghani.

Hoje, no entanto, imagens compartilhadas nas redes sociais mostram o grave caos instalado no aeroporto de Cabul, onde várias centenas de afegãos tentam buscar qualquer chance para fugir do país, mesmo que isso signifique arriscarem suas vidas.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала