- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Wilson Witzel, sua esposa e mais 10 viram réus na Justiça Federal por organização criminosa

© REUTERS / Adriano MachadoWilson Witzel, governador do estado do Rio de Janeiro.
Wilson Witzel, governador do estado do Rio de Janeiro. - Sputnik Brasil, 1920, 16.06.2021
Nos siga noTelegram
Os crimes praticados incluem lavagem de dinheiro e corrupção ativa e passiva. Pastor Everaldo Dias Pereira e o ex-secretário da Saúde, Edmar Santos, também estão na lista de réus da Justiça Federal.

Nesta quarta-feira (16), o Tribunal Regional Federal da 2ª Região aceitou denúncia e tornou réus o ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, sua esposa, Helena Witzel, o pastor Everaldo Dias Pereira, o ex-secretário da Saúde, Edmar Santos e mais oito pessoas, segundo o UOL.

Todos são acusados de crimes de corrupção ativa e passiva, fraude em licitações, peculato e lavagem de dinheiro.

A denúncia foi feita pelo Ministério Público Federal, na qual o ministério acusa os réus de montarem uma organização criminosa de rede complexa de empresas constituídas por pessoas próximas ao então governador, que teriam realizado pagamentos sistemáticos de propina a diversos agentes, com intuito de fechar ou manter seus contratos com o governo do estado, de acordo com a mídia.

Em fevereiro deste ano, antes de sofrer impeachment, Witzel já tinha passado à condição de réu em outro processo, no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Na ação, decorrente da Operação Tris in Idem, o ex-governador responde a acusações de corrupção e lavagem de dinheiro.

A operação apontou que o ex-governador teria recebido, por intermédio do escritório de advocacia da mulher, Helena Witzel, pelo menos R$ 554,2 mil em propina, segundo o G1.

Em 30 de abril, além do afastamento definitivo de Wilson Witzel do cargo de governador do estado do Rio de Janeiro, o Tribunal Especial Misto encarregado do julgamento do impeachment também aprovou a inelegibilidade do político por cinco anos, conforme noticiado.

O ex-governador também conta com quatro denúncias da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o mesmo STJ. A primeira delas foi recebida pela Corte superior porque o político ainda estava no cargo de governador.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала