Inteligência de Israel estaria enviando mensagens com ameaças a palestinos, diz relatório

© AP Photo / Adel HanaManifestantes com bandeiras da Palestina
Manifestantes com bandeiras da Palestina - Sputnik Brasil, 1920, 13.05.2021
Nos siga noTelegram
Nos últimos quatro dias, as forças israelenses utilizaram equipamento especial contra palestinos dentro da mesquita Al-Aqsa por, pelo menos, três vezes.

Entre esses equipamentos, foram usados gás lacrimogênio, granadas de ruído e balas de borracha, resultando em dezenas de pessoas feridas. Agora, o Middle East Eye reportou que centenas de palestinos estariam recebendo mensagens com ameaças vindas da "inteligência israelense", avisando-os para não participarem dos protestos anti-Israel.

Muitos palestinos estão recebendo esta mensagem em seus celulares.
"Olá! Você foi identificado por ter participado de atos violentos na mesquita de Al-Aqsa. Nós o responsabilizaremos. – Inteligência israelense".
Israel está, provavelmente, utilizando um sistema GPS, como o usado para surtos de coronavírus.

Supostamente, todas as mensagens proveem do mesmo número de telefone que, por sua vez, não responde quando alguém tenta ligar para o mesmo.

Uma mensagem de texto que o atirador que trabalha conosco recebeu. Diz "Olá, soubemos que você participou dos violentos confrontos na mesquita de Al-Aqsa. Você será responsabilizado. Assinado: Inteligência israelense". Não tenho certeza se alguém está zombando ou se é real. Tentamos ligar, [mas] sem resposta.

Segundo o relatório, alguns ativistas acreditam que estas mensagens ameaçadoras são parte de uma tentativa para impedir que os palestinos visitem a mesquita em causa, um dos locais sagrados mais respeitados do Islã e que, no decorrer destes últimos dias, se tornou um símbolo da resistência palestina.

Os confrontos têm sido preenchidos pela destruição de edifícios e veículos, bem como ataques a civis árabes e judeus, tendo as autoridades israelenses de se dirigir com emergência para a cidade de Lod, onde a situação é similar a uma "guerra civil".

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, denunciou a violência entre árabes e judeus, e jurou reestabelecer a segurança e a ordem nos assentamentos do país.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала