Regulador britânico recomenda vacina alternativa à AstraZeneca para pessoas de menos de 40 anos

© REUTERS / Dado RuvicFrascos das vacinas AstraZeneca, Pfizer/Biontech, Johnson & Johnson e Sputnik V contra COVID-19
Frascos das vacinas AstraZeneca, Pfizer/Biontech, Johnson & Johnson e Sputnik V contra COVID-19 - Sputnik Brasil, 1920, 07.05.2021
Nos siga noTelegram
O Comitê Conjunto de Vacinação e Imunização do Reino Unido (JCVI, na sigla em inglês) concedeu uma entrevista coletiva nesta sexta-feira (7), abordando os benefícios da vacina da AstraZeneca e as crescentes preocupações com os riscos associados ao imunizante.

O JCVI assegurou ao público que os benefícios da vacina de Oxford/AstraZeneca continuam superando os riscos para a grande maioria das pessoas.

Apesar de apoiar a segurança da vacina da AstraZeneca, o representante do JCVI, Wei Shen Lim, aconselhou pessoas de menos de 40 anos a buscar uma vacina alternativa.

"Como as taxas de COVID-19 continuam sob controle, estamos avisando que adultos de 18 a 39 anos sem condições de saúde subjacentes recebam uma vacina alternativa à de Oxford/AstraZeneca, se disponível, e se não causar atrasos na administração da vacina", disse ele.

As preocupações surgiram após a divulgação de dados mostrando rara formação de coágulos sanguíneos em receptores das vacinas da AstraZeneca e da Johnson & Johnson.

© AP Photo / Kirsty WigglesworthUm vacinador administra o imunizante da AstraZeneca na Igreja de St John, em Ealing, Londres, em 16 de março de 2021
Regulador britânico recomenda vacina alternativa à AstraZeneca para pessoas de menos de 40 anos - Sputnik Brasil, 1920, 07.05.2021
Um vacinador administra o imunizante da AstraZeneca na Igreja de St John, em Ealing, Londres, em 16 de março de 2021

"Monitoramos rigorosamente a segurança das vacinas contra COVID-19 e todos os relatórios desses coágulos sanguíneos extremamente raros que ocorrem junto com a trombocitopenia foram investigados cientificamente assim que os recebemos. Continuamos publicando a análise mais recente de todos os casos extremamente raros", informou a presidente-executiva da Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde no Reino Unido, June Raine.

"Também emitimos orientações claras para profissionais de saúde sobre como minimizar os riscos, bem como orientações adicionais sobre os sintomas para que os receptores da vacina fiquem atentos por quatro ou mais dias após a vacinação", acrescentou.

De acordo com ela, o ritmo do programa nacional de vacinação do Reino Unido não será afetado pelo anúncio, com o país ainda em vias de oferecer uma primeira dose a todos os adultos até o final de julho.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала