Estudo lança mais luz sobre risco de coágulos sanguíneos raros após vacina da AstraZeneca

© REUTERS / POOLMembro da equipe lida com vacinas da AstraZeneca contra a COVID-19 armazenadas no Centro de Vacinas da Região Hovedstaden, Copenhague, Dinamarca, 11 de fevereiro de 2021
Membro da equipe lida com vacinas da AstraZeneca contra a COVID-19 armazenadas no Centro de Vacinas da Região Hovedstaden, Copenhague, Dinamarca, 11 de fevereiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 06.05.2021
Nos siga noTelegram
Pesquisa dinamarquesa e norueguesa confirma casos de coágulos sanguíneos raros em pessoas que receberam recentemente sua primeira dose da vacina da AstraZeneca contra a COVID-19.

Um grande estudo da Dinamarca e da Noruega publicado pela The BMJ nesta quarta-feira (5) lança luz adicional sobre o risco de coágulos sanguíneos raros em adultos que receberam sua primeira dose da vacina da AstraZeneca contra a COVID-19.

Os resultados mostram taxas aumentadas de coágulos sanguíneos nas veias, incluindo nas veias do cérebro, em comparação com as taxas esperadas na população em geral. No entanto, os pesquisadores destacam que o risco de tais eventos adversos é considerado baixo.

Os reguladores de medicamentos do Reino Unido e da UE afirmam que os benefícios da vacina da AstraZeneca ainda superam os riscos. A Dinamarca e a Noruega suspenderam o uso da vacina e vários outros países optaram por não a administrar em certas faixas etárias.

Para tentar saber mais, pesquisadores baseados na Dinamarca e na Noruega decidiram comparar as taxas nacionais de coágulos sanguíneos e condições relacionadas após a vacinação com o imunizante da AstraZeneca com as da população geral dos dois países.

Seus resultados são baseados em 280 mil pessoas com idades entre 18 e 65 anos que receberam a primeira dose da vacina da AstraZeneca contra a COVID-19 na Dinamarca e na Noruega de fevereiro de 2021 a 11 de março de 2021.

© AP Photo / Jerome DelayEnfermeira coletando sangue de paciente que recebeu vacina da AstraZeneca contra a COVID-19 na África do Sul
Estudo lança mais luz sobre risco de coágulos sanguíneos raros após vacina da AstraZeneca - Sputnik Brasil, 1920, 06.05.2021
Enfermeira coletando sangue de paciente que recebeu vacina da AstraZeneca contra a COVID-19 na África do Sul

Usando registros nacionais de saúde, eles identificaram taxas de eventos cardiovasculares, como ataques cardíacos, derrames, coágulos sanguíneos em veias profundas e eventos de sangramento durante 28 dias após receber a primeira dose da vacina e compararam-nos com as taxas esperadas nas populações em geral da Dinamarca e da Noruega.

Na análise principal, os pesquisadores encontraram 59 coágulos sanguíneos nas veias em comparação com os 30 esperados, correspondendo a 11 eventos em excesso por 100 mil vacinações.

Isso incluiu uma taxa maior do que o esperado de coágulos sanguíneos nas veias do cérebro, conhecida como trombose venosa cerebral (2,5 eventos por 100 mil vacinações). No entanto, eles não encontraram nenhum aumento na taxa de coágulos arteriais, como ataques cardíacos ou derrames.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала