- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Consórcio da OMS pode atrasar entrega de vacinas para Brasil, diz senadora

© Folhapress / José Marcos/Agência EnquadrarIdoso recebe a vacina da AstraZeneca/Oxford contra a COVID-19 em Olinda, no Recife.
Idoso recebe a vacina da AstraZeneca/Oxford contra a COVID-19 em Olinda, no Recife. - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2021
Nos siga noTelegram
Organização Mundial da Saúde (OMS) não pode mais garantir cronograma de entrega de doses de vacinas ao Brasil pelo consórcio COVAX Facility, segundo informou a senadora Kátia Abreu (PP-TO). 

A previsão inicial era de envio de seis milhões de doses até março e mais três milhões até maio. Até o momento, um milhão de doses já foram entregues ao país. No entanto, a entidade não consegue mais fixar um prazo para o restante.

Abreu, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, reuniu-se nesta quinta-feira (1º) com o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom. O deputado Aécio Neves (PSDB-MG), que preside a mesma comissão na Câmara, também participou do encontro. 

"Ele disse que não podem mais dar cronograma. Das nove milhões de doses, nós só recebemos até agora um milhão, e o resto não se sabe mais quando chegará. Disseram que eles não têm condição, porque há problemas de produção e estão com problemas no mundo todo", afirmou Kátia Abreu em entrevista para a CNN Brasil. 

O motivo pelo qual não é possível garantir a entrega das vacinas é o atraso nos laboratórios da Índia e da Coreia do Sul.

Lockdown em casos extremos

A senadora disse que foi feito um pedido ao diretor-geral da OMS para que a entidade mude os critérios de distribuição das vacinas por meio do consórcio, e passe a considerar também a gravidade da situação em cada país.

Atualmente, a preferência é dos países mais populosos e mais pobres. No encontro, Adhanom ressaltou a importância de, além da vacinação, os países seguirem as recomendações sanitárias da OMS, como uso de máscaras, higiene das mãos, distanciamento físico e uso de espaços arejados.

De acordo com a senadora, o diretor-geral da OMS disse que o lockdown deve ser usado em casos extremos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала