Irmã de Kim Jong-un chama presidente da Coreia do Sul de 'papagaio criado pelos americanos'

© AP Photo / Pool / Jorge SilvaKim Yo-jong, irmã do líder da Coreia do Norte Kim Jong-un, durante cerimônia em Hanói, Vietnã (imagem de arquivo)
Kim Yo-jong, irmã do líder da Coreia do Norte Kim Jong-un, durante cerimônia em Hanói, Vietnã (imagem de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 30.03.2021
Nos siga noTelegram
Kim Yo-jong, irmã do líder supremo da Coreia do Norte, atacou o "descaramento" de Moon Jae-in, dizendo que ele defende armamentos sul-coreanos como pacíficos, ao contrário dos norte-coreanos.

Kim Yo-jong, irmã mais nova de Kim Jong-un, líder supremo da Coreia do Norte, chamou Moon Jae-in, presidente da Coreia do Sul, de "papagaio criado pelos americanos" depois que ele condenou os testes de mísseis da Coreia do Norte, informa na terça-feira (30) a agência norte-coreana KCNA.

O líder sul-coreano criticou os testes balísticos do país vizinho na sexta-feira (26), dizendo que eles "complicaram" a situação.

"Este é o auge do descaramento", afirmou Kim Yo-jong, lembrando que Moon Jae-in visitou a Agência de Desenvolvimento Militar da Coreia do Sul em 23 de julho de 2020 e elogiou diferentes tipos de armamentos, falando também de mísseis balísticos com alcance suficiente para "defender a paz na península coreana".

Segundo ela, o chefe de Estado da Coreia do Sul também se contradiz.

"Ele quis dizer que o teste de lançamento de mísseis balísticos realizado pelo Instituto de Ciências da Defesa da Coreia do Sul é para paz e diálogo na península coreana, mas que o conduzido pela Academia de Ciências da Defesa da República Popular Democrática da Coreia é indesejável, preocupa as pessoas no Sul e complica a atmosfera de diálogo. É impossível não ficar surpreso com tal falta de vergonha", comentou Kim Yo-jong.

A irmã do líder norte-coreano observou que "tal comportamento ilógico e descarado" é exatamente igual ao da "lógica de gângsteres dos EUA", que questionam a Coreia do Norte, chamando suas medidas de autodefesa de violação das resoluções das Nações Unidas e de ameaça à comunidade internacional.

A Coreia do Norte testou dois mísseis de cruzeiro no mar Amarelo em 21 de março. Quatro dias depois, Pyongyang testou dois mísseis balísticos no mar do Japão (também conhecido como mar do Leste). Estes últimos mísseis são proibidos pelas resoluções da ONU.

O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte acusou o Conselho de Segurança da ONU de "padrão duplo" ao negar o direito da Coreia do Norte à autodefesa.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала