FMI prevê crescimento mundial mais rápido, mas desigual em 2021

© REUTERS / MIKE THEILERA diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, faz comentários em uma entrevista coletiva de abertura durante reuniões do FMI e do Banco Mundial em Washington, EUA, 17 de outubro de 2019
A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, faz comentários em uma entrevista coletiva de abertura durante reuniões do FMI e do Banco Mundial em Washington, EUA, 17 de outubro de 2019 - Sputnik Brasil, 1920, 30.03.2021
Nos siga noTelegram
O crescimento global está acelerando, impulsionado por EUA e China, disse Kristalina Georgieva, diretora-gerente do FMI, mas ela também apontou para os riscos de uma recuperação dessincronizada entre os países.
"Em janeiro, projetávamos um crescimento global de 5,5% em 2021. Agora esperamos uma nova aceleração da expansão", declarou Georgieva em um discurso antes das reuniões de primavera (Hemisfério Norte) do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial (BM).

A diretora-gerente do FMI não citou números precisos, enquanto o tradicional relatório da instituição de Washington sobre as novas perspectivas para a economia mundial será publicado no dia 6 de abril, dentro de apenas uma semana, segundo publicou a AFP.

© Sputnik / Natalia Seliverstova / Abrir o banco de imagensSede do Fundo Monetário Internacional (FMI), em Washington DC, EUA
FMI prevê crescimento mundial mais rápido, mas desigual em 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 30.03.2021
Sede do Fundo Monetário Internacional (FMI), em Washington DC, EUA

Mas Georgieva disse que a revisão para cima no crescimento foi "em parte devido ao apoio político adicional", incluindo o gigantesco plano de US$ 1,9 trilhão (R$ 10,9 trilhões) do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e "em parte" aos efeitos esperados, campanhas de vacinação em "muitas" economias avançadas no final do ano passado.

"Esta melhoria é o resultado de um esforço extraordinário de enfermeiros, médicos, trabalhadores essenciais e pesquisadores em todo o mundo, enquanto os governos tomaram medidas orçamentárias excepcionais em um montante acumulado de US$ 16 trilhões [R$ 92,2 trilhões]", disse ela.

Sem esta ajuda sincronizada, a contração do PIB mundial registrada em 2020 (-3,5%) teria sido "três vezes maior", destacou a chefe do FMI.

A instituição com sede em Washington está, no entanto, preocupada com as repercussões de uma recuperação acelerada nesses países.

"O crescimento sustentado nos Estados Unidos pode beneficiar muitos países por meio do aumento do comércio. Mas, com uma recuperação econômica dessincronizada em todo o mundo, se os países avançados aumentarem drasticamente suas taxas de juros, isso aumentaria os custos de refinanciamento da dívida de uma série de países emergentes que já estão atrasados ​​nessa recuperação", disse Georgieva.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала