Elo perdido na astronomia: descoberto 1º buraco negro de massa intermediária (FOTO)

© AFP 2022 / Observatório Europeu Do Sul - M. KornmesserBuraco negro
Buraco negro - Sputnik Brasil, 1920, 30.03.2021
Nos siga noTelegram
Astrônomos australianos comprovaram a existência de buracos negros de massa intermediária. O primeiro objeto desta classe foi registrado durante análise de explosão de raios gama com lentes gravitacionais.

Pesquisadores por muito tempo tentaram encontrar buracos negros de massa intermediária, ou seja, de tamanho entre supermassivos e estelares.

Estudiosos das Universidades de Melbourne e Monash, Austrália, descobriram um buraco negro de massa intermediária, ou seja, 55 vezes superior ao Sol, de acordo com estudo publicado na revista Nature Astronomy.

Os cientistas analisaram milhares de explosões de raios gama com lentes gravitacionais, formadas como resultado de colapso ou colisão estelar, para encontrar traços de lente gravitacional que ocorre quando no caminho de raios gama se encontra um objeto, atuando como uma lente, que, no caso, seria um buraco negro.

Quando os raios contornam um objeto, emissão de explosões distantes se distorce. Usando o tempo de atraso de raio é possível medir a massa do objeto que é o obstáculo.

Equipamento especialmente desenvolvido confirmou duas explosões de raios gama, registradas com um atraso, o que prova e existência de buraco negro de massa intermediária.

© Foto / Carl Knox, OzGravPrimeiro buraco negro de massa intermediária foi descoberto através da análise de explosão de raios gama com lentes gravitacionais
Elo perdido na astronomia: descoberto 1º buraco negro de massa intermediária (FOTO) - Sputnik Brasil, 1920, 30.03.2021
Primeiro buraco negro de massa intermediária foi descoberto através da análise de explosão de raios gama com lentes gravitacionais

A nova descoberta é muito importante para entender como buracos negros se formam e crescem, aumentando até os buracos negros supermassivos em centros de galáxias, revelam cientistas.

"Atualmente, não sabemos como os buracos negros supermassivos são capazes de crescer até atingir massas tão exorbitantes dentro da idade do Universo. Simplesmente, não há coisas suficientes para acumular, nem tempo suficiente", segundo um dos autores do estudo, James Paynter.

Os cientistas acreditam que agora será mais fácil encontrar objetos análogos e avaliar seu número total no Universo. Segundo os pesquisadores, nos arredores de nosso Universo haveria cerca de 46 mil de buracos negros de massa intermediária.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала