Casa Branca admite problemas na fronteira e culpa políticas de Donald Trump

© AP Photo / Ramon EspinosaImigrante ajuda a levar a bandeira norte-americana à fronteira entre o México e os EUA, depois de ter ultrapassado a polícia mexicana na fronteira. A construção de um muro fronteiriço entre os EUA e o México mais fortificado foi uma das promessas da campanha eleitoral de Trump de 2016
Imigrante ajuda a levar a bandeira norte-americana à fronteira entre o México e os EUA, depois de ter ultrapassado a polícia mexicana na fronteira. A construção de um muro fronteiriço entre os EUA e o México mais fortificado foi uma das promessas da campanha eleitoral de Trump de 2016 - Sputnik Brasil, 1920, 28.03.2021
Nos siga noTelegram
A administração de Joe Biden evita o uso do termo "crise de fronteira", apesar do número recorde de menores desacompanhados detidos em abrigos do governo na fronteira com o México.

Joe Biden e os democratas, ao longo da campanha presidencial do ano passado, fizeram muitas promessas para imigrantes latinos. Agora, diante da maior crise migratória dos últimos anos, parecem faltar respostas e ações para resolver o problema.

A diretora de comunicações da Casa Branca, Kate Bedingfield, disse em entrevista para a ABC News que não há nada sem precedentes no número crescente de imigrantes que se movimentam na fronteira dos EUA.

Ao invés disso, ela descreveu os aumentos de migração como "cíclicos" e "não o resultado das políticas de um governo".

"Estes [surtos] são resultados de, por exemplo, desastres climáticos na região. Eles são o resultado de pessoas que fogem da pobreza e da violência", argumentou.

© Sputnik / Jesus Alvarado / Abrir o banco de imagensCaravana de migrantes hondurenhos atravessam o México na direção à fronteira dos EUA
Casa Branca admite problemas na fronteira e culpa políticas de Donald Trump - Sputnik Brasil, 1920, 28.03.2021
Caravana de migrantes hondurenhos atravessam o México na direção à fronteira dos EUA

"Portanto, vimos picos em 2014, e em 2019, quando a administração de Donald Trump tinha talvez as políticas mais cruéis que se possa imaginar, como separar as famílias, para tentar impedir as pessoas de virem" para os EUA, continuou Bedingfield.

Quando o entrevistador pressionou a diretora de comunicações da Casa Branca a admitir que o problema era muito mais grave desta vez, já que mais de 18.000 menores desacompanhados estão sob custódia dos Estados Unidos, ela se recusou a concordar.

"Para essas crianças desacompanhadas que chegam, o presidente [Joe Biden] está trabalhando o mais rápido possível para transferi-las para instalações aceitáveis", disse.

Kate Bedingfield, no entanto, entende que as políticas de migração do governo Biden não mudaram. "A grande maioria das pessoas que chegam à nossa fronteira, estamos recusando sob o Título 42, um código de saúde que nos permite recusar pessoas neste período de COVID-19", afirmou.

Ainda neste domingo (28), o senador republicano Ted Cruz comentou a situação em uma carta endereçada ao presidente Joe Biden.

​Presidente Biden, o povo norte-americano merece ver a verdade.

Ele pede uma solução para crise e faz um apelo em nome da imprensa. Na visão do senador, a imprensa está sendo impedida de trabalhar nos abrigos da fronteira com o México, e os "reais impactos da crise imigratória não estão sendo revelados".

Um relatório recente do Departamento de Segurança Interna revelado pela Axios mostrou que mais de 800 crianças migrantes desacompanhadas foram mantidas em instalações de patrulha de fronteira por mais de dez dias.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала