Após sanções de direitos humanos, Coreia do Norte tacha União Europeia de 'psicótica'

© REUTERS / KCNAMonumento com as estátuas de bronze dos líderes Kim Il-sung e Kim Jong-il em Pyongyang
Monumento com as estátuas de bronze dos líderes Kim Il-sung e Kim Jong-il em Pyongyang - Sputnik Brasil, 1920, 24.03.2021
Nos siga noTelegram
A Coreia do Norte classificou as sanções de direitos humanos impostas pela União Europeia nesta semana como uma "provocação política desprezível" que resulta de "uma maneira psicótica de pensar".

O Conselho da União Europeia anunciou na segunda-feira (22) a aplicação de sanções sobre 11 indivíduos e quatro entidades em seis países - incluindo China, Rússia e Coreia do Norte - pelo que considera como violações dos direitos humanos.

UE sanciona 11 pessoas pelo golpe militar e a repressão subsequente em Mianmar e 11 pessoas e quatro entidades responsáveis por sérias violações dos direitos humanos em China, República Popular Democrática da Coreia [Coreia do Norte], Líbia, Rússia, Sudão do Sul e Eritreia.

Na terça-feira (23), um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte denunciou as novas medidas contra Pyongyang como uma "ferramenta política sinistra" desencadeada pela "repugnância inveterada da UE, associada a um modo de pensar psicótico".

Segundo um comunicado divulgado pela agência de notícias oficial KCNA, o porta-voz norte-coreano assinalou que as sanções são parte de uma política hostil contra Pyongyang e "uma desprezível provocação política".

Entre os norte-coreanas sancionados ​​pela UE estão o ministro de Segurança do Estado, Jong Kyong-thaek, o ministro da Segurança Pública, Ri Yong-gil, e também o Gabinete do Ministério Público da República Popular Democrática da Coreia.

Segundo o Jornal Oficial da UE, os sancionados são responsáveis ​​por "graves violações dos direitos humanos", que vão desde tortura e execuções arbitrárias até trabalho forçado generalizado e violência sexual contra mulheres.

Pyongyang, por sua vez, afirma que protege e promove "os direitos humanos genuínos" e chama as acusações de abusos de direitos humanos feitas pela comunidade internacional de propaganda anti-Coreia do Norte.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала