Sri Lanka rejeita esforços da ONU de investigar crimes de guerra no país: 'Desperdício de dinheiro'

© REUTERS / Dinuka LiyanawatteO Ministro das Relações Exteriores do Sri Lanka, Dinesh Gunawardena, em entrevista coletiva sobre resolução da ONU sobre crimes de guerra do Sri Lanka
O Ministro das Relações Exteriores do Sri Lanka, Dinesh Gunawardena, em entrevista coletiva sobre resolução da ONU sobre crimes de guerra do Sri Lanka - Sputnik Brasil, 1920, 23.03.2021
Nos siga noTelegram
O Sri Lanka rejeitou nesta terça-feira (23) uma medida da ONU (Organização das Nações Unidas) para preservar as evidências de crimes de guerra no país.

Segundo o governo nacional, o dinheiro alocado para este esforço deveria ser melhor gasto, já que há muitas pessoas passando por necessidade no país.

A resolução adotada pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU em Genebra estipulou um orçamento de US$ 2,8 milhões (cerca de R$ 15,4 milhões) para coletar e preservar evidências de crimes de guerra que possam utilizadas em futuros processos.

A resolução apresenta também um relatório da chefe de direitos humanos da ONU, Michelle Bachelet, sobre o fracasso do Sri Lanka em processar criminosos de guerra do conflito separatista do país, que terminou em maio de 2009.

© AP Photo / Jorge SilvaA alta comissária da ONU para os direitos humanos, Michelle Bachelet
Sri Lanka rejeita esforços da ONU de investigar crimes de guerra no país: 'Desperdício de dinheiro' - Sputnik Brasil, 1920, 23.03.2021
A alta comissária da ONU para os direitos humanos, Michelle Bachelet

O ministro das Relações Exteriores do Sri Lanka, Dinesh Gunawardena, disse que a medida da ONU não tem a aprovação do país.

"É um desperdício de dinheiro. Altamente desnecessário. Sem o consentimento e aceitação do país em questão, não pode ser implementado", disse Gunawardena a repórteres em uma entrevista coletiva organizada às pressas em Colombo.

Segundo Gunawardena, citado pela AFP, o dinheiro seria melhor gasto no fornecimento de "moradia para toda a população da península de Jaffna". Gunawardena se referiu a uma região do país onde a minoria tâmil foi devastada pela guerra.

Sucessivos governos do Sri Lanka resistiram aos apelos por uma investigação independente sobre as alegações de que soldados mataram pelo menos 40.000 civis da minoria tâmil. A acusação é negada pelo país.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала