Juiz determina transferência de Jeanine Áñez da prisão para hospital

© AP Photo / Juan KaritaA ex-presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, é escoltada em uma delegacia depois de prestar depoimento no dia 13 de março de 2021, em La Paz
A ex-presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, é escoltada em uma delegacia depois de prestar depoimento no dia 13 de março de 2021, em La Paz - Sputnik Brasil, 1920, 19.03.2021
Nos siga noTelegram
Após decisão judicial, a ex-presidente interina da Bolívia Jeanine Áñez será transferida para um hospital para receber cuidados médicos devido a problemas de saúde.

A informação foi divulgada nesta sexta-feira (19) por Ariel Coronado, advogado de Áñez. Coronado desmentiu os boatos de que Áñez estaria em greve de fome, mas confirmou que ela está com dificuldades para se alimentar desde que foi detida, no sábado passado (13), em sua casa, na cidade de Trinidad, antes de ser levada para La Paz.

"Confirmamos que sua saúde ainda está delicada. Ela não consegue comer. Ela come e vomita. Por isso está comendo muito pouco, somente biscoitos e coisas assim. E seus braços estão machucados com as injeções que deram a ela", disse Coronado à Rádio Compañera.

Jeanine Áñez, que tem 53 anos e cumpriu seu quinto dia de prisão preventiva nesta sexta-feira (19), é acusada de participar de um golpe contra o ex-presidente Evo Morales em 2019. Ela nega veementemente as acusações, diz que assumiu a presidência interina por sucessão constitucional e alega ser vítima de perseguição política.

A filha de Áñez levantou preocupações sobre a saúde de sua mãe na quarta-feira (17), depois que as autoridades confirmaram que ela adoeceu na prisão.

© AP Photo / Juan KaritaPresidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, participa de evento usando máscara em meio à pandemia do novo coronavírus
Juiz determina transferência de Jeanine Áñez da prisão para hospital - Sputnik Brasil, 1920, 19.03.2021
Presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, participa de evento usando máscara em meio à pandemia do novo coronavírus

O governo socialista da Bolívia, liderado pelo presidente Luis Arce, aliado de Evo Morales, pediu a prisão de vários ex-funcionários do governo, bem como de líderes militares e civis, sob acusações de conspiração para expulsar Morales da presidência.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала