Filho de Trump afirma que EUA não têm líder, após Casa Branca recusar conversa com Putin

© REUTERS / Joe SkipperDonald Trump Jr., filho do ex-presidente Donald Trump, discursa em conferência da União Conservadora Americana na Flórida, EUA, 26 de fevereiro de 2021
Donald Trump Jr., filho do ex-presidente Donald Trump, discursa em conferência da União Conservadora Americana na Flórida, EUA, 26 de fevereiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 19.03.2021
Nos siga noTelegram
Donald Trump Jr., filho do ex-presidente norte-americano, declarou, após recusa da Casa Branca de ter conversa franca com o presidente russo Vladimir Putin, que, no momento, os Estados Unidos não têm nenhum líder.

A declaração surgiu na conta no Twitter do filho de Donald Trump nesta quinta-feira (18), que adicionou que os adversários dos Estados Unidos estão observando com entusiasmo a "fraqueza" norte-americana.

Putin apenas desafiou Joe Biden a um debate de improviso ao vivo. Todo o mundo sabe que não temos nenhuma liderança, e no topo há apenas um terno vazio com teleprompter (e ele nem consegue usá-lo de maneira certa). Eles estão olhando agora mesmo para a fraqueza de [Estados Unidos da] América e salivando.

Anteriormente, o presidente Joe Biden, ao responder a uma pergunta se considera seu homólogo russo um "assassino", respondeu que sim. O democrata também afirmou que Putin "pagará" por suposta interferência nas eleições dos EUA.

Putin, por sua vez, comentou as palavras de Biden, desejando-lhe saúde, relembrando que a avaliação a outras pessoas é o reflexo do espelho e convidando Biden a continuar a discussão na sexta-feira (19) ou na segunda-feira (22). Em resposta, a Casa Branca anunciou que os líderes já conversaram e que os EUA mantêm contato com a chefia russa. Biden ainda se recusou a responder, após discurso na Casa Branca na quinta-feira (18), se quer ter uma conversa com Putin.

Recentemente, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia informou que o embaixador russo nos Estados Unidos, Anatoly Antonov, foi convocado para consultas em Moscou a fim de analisar as formas de corrigir os laços russo-americanos na crise. A convocação ocorre após novas acusações dos EUA sobre suposta interferência russa nas eleições presidenciais. A missão diplomática russa nos Estados Unidos confirmou que o embaixador vai para a capital russa em 20 de março.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала