COVID-19: após relatos de efeitos colaterais, Países Baixos interrompem uso da vacina AstraZeneca

© AP Photo / Peter DejongUm dos primeiros a receber a vacina contra a COVID-19 em Apeldoorn, Holanda, na terça-feira, dia 26 de janeiro de 2021. Jos Bieleveldt, aos 91 anos de idade
Um dos primeiros a receber a vacina contra a COVID-19 em Apeldoorn, Holanda, na terça-feira, dia 26 de janeiro de 2021. Jos Bieleveldt, aos 91 anos de idade - Sputnik Brasil, 1920, 15.03.2021
Nos siga noTelegram
Com a decisão, Países Baixos adiarão seu programa de imunização, visto que haviam comprado 12 milhões de doses da farmacêutica. Relatos de efeitos colaterais incluem sangramentos, coágulos no sangue e diminuição de plaquetas.

No domingo (14), os Países Baixos se juntaram à lista crescente de nações a suspender o uso da vacina contra COVID-19 da AstraZeneca após relatos de possíveis efeitos colaterais inesperados da injeção. A vacina não será usada até pelo menos 29 de março como precaução, disse o governo holandês em um comunicado.

A organização holandesa encarregada de relatar reações adversas a medicamentos anunciou nesta segunda-feira (15) em comunicado que recebeu 10 relatos de incidentes após a vacinação com imunizante da AstraZeneca, após a decisão do governo de interromper o uso da vacina por precaução. Os efeitos colaterais incluem possíveis casos de trombose ou embolias, mas não de um número reduzido de plaquetas, como foi relatado na Dinamarca e na Noruega.

O anúncio levará a atrasos no lançamento de vacinas nos Países Baixos, que já encomendaram 12 milhões de doses da vacina da AstraZeneca. As autoridades de saúde agendaram cerca de 290 mil doses do imunizaste do laboratório britânico e suíço para as próximas duas semanas.

Baseada em relatórios da Dinamarca e da Noruega sobre possíveis efeitos colaterais graves, a medida também foi tomada pelas autoridades irlandesas. Três profissionais de saúde na Noruega, que recentemente receberam a vacina, estavam sendo tratados no hospital por sangramento, coágulos sanguíneos e baixa contagem de plaquetas, disseram autoridades de saúde norueguesas no sábado (13).

Apesar de nenhum caso desse tipo ter sido encontrado nos Países Baixos, o Ministério da Saúde holandês, acrescentando que ainda não havia provas de uma ligação direta entre a vacina e os relatórios da Dinamarca e da Noruega, resolveu anunciar a decisão.

"Não podemos permitir dúvidas sobre a vacina", disse o ministro da Saúde holandês, Hugo de Jonge. "Temos que ter certeza de que tudo está certo, então é aconselhável fazer uma pausa por enquanto."

A AstraZeneca se pronunciou e disse que uma revisão dos dados de segurança de pessoas vacinadas com sua vacina contra COVID-19 não mostrou evidências de um risco aumentado de coágulos sanguíneos.

De Jonge afirmou que sua decisão foi baseada em novos relatórios, que agora serão investigados pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês). Outros países como Dinamarca, Noruega, Irlanda e Islândia também suspenderam o uso da vacina por problemas de coagulação, enquanto a Tailândia se tornou o primeiro país fora da Europa a fazê-lo.

No domingo, a região norte da Itália de Piemonte disse que pararia de usar um lote de vacinas da AstraZeneca depois que um professor morreu após ser vacinado no sábado (13). A Áustria também parou de usar um determinado lote na semana passada.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала