COVID-19: Itália pede que UE aprove uso da Sputnik V em breve

© REUTERS / Remo CasilliO ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, durante coletiva de imprensa.
O ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, durante coletiva de imprensa. - Sputnik Brasil, 1920, 07.03.2021
Nos siga noTelegram
O ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, pediu à União Europeia que autorize o quanto antes a vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya (Centro Gamaleya), da Rússia.

A declaração foi dada em entrevista ao canal de televisão italiano Rai 3 neste domingo (7).

"Começamos a usar as vacinas AstraZeneca, Pfizer e Moderna somente depois que a EMA [Agência Europeia de Medicamentos] e a Agência de Medicamentos Italiana [Aifa] afirmaram que eram seguras e eficazes. Espero que façam o mesmo com a vacina Sputnik V assim que possível", disse Speranza.

O ministro afirmou não estar interessado na nacionalidade dos cientistas que desenvolveram as vacinas.

"Estou aberto às vacinas da Rússia, assim como de outras que surjam no mundo, o que importa é que as verificações e os controles que as agências devem realizar deem bons resultados", disse.

Speranza, portanto, se junta a outras vozes que pedem o uso da Sputnik V para impedir a disseminação da COVID-19 no país.

No início de fevereiro, Franco Locatelli, presidente do Conselho Superior de Saúde da Itália, classificou os dados da fase 3 da Sputnik V como interessantes e pediu "avaliação do perfil de segurança e eficácia através de análises rigorosas" sem qualquer preconceito.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала