'Grita ou canta': inventor dos Países Baixos cria teste inovador para detectar COVID-19 (VÍDEO)

© REUTERS / Eva PlevierPeter van Wees explains John Moritz when to shout in the quick breath analyzer cabin that tests for the coronavirus disease (COVID-19) at a testing location in Amsterdam, Netherlands March 1, 2021. Picture taken March 1, 2021.
Peter van Wees explains John Moritz when to shout in the quick breath analyzer cabin that tests for the coronavirus disease (COVID-19) at a testing location in Amsterdam, Netherlands March 1, 2021. Picture taken March 1, 2021. - Sputnik Brasil, 1920, 06.03.2021
Nos siga noTelegram
Um empreendedor criou um teste que envolve gritar ou cantar, colocando uma cabine próximo a um centro de testes médicos nos Países Baixos para analisar o ar com um dispositivo para detectar presença do coronavírus.

O inventor Peter van Wees, dos Países Baixos, criou um inovador teste da COVID-19 que não requer um cotonete, relatou na quinta-feira (4) a agência Reuters.

Na chamada "cabine de gritos", uma cabine estanque, as pessoas têm que gritar ou cantar algo a plenos pulmões. Em seguida, um purificador de ar industrial coleta as partículas emitidas e estas são analisadas para se detectar se o SARS-CoV-2 está presente ou não.

"Se você tem coronavírus e é infeccioso, e está berrando e gritando, você está espalhando dezenas de milhares de partículas que contêm coronavírus", explicou Van Wees.

Durante o processo, "um purificador de ar industrial coleta todas as partículas emitidas, que depois são analisadas para o vírus", e um "dispositivo de medição em escala nanométrica" identifica pelo tamanho o coronavírus, escreve a mídia. Todo o processo levaria cerca de três minutos.

​Um inventor dos Países Baixos apresentou o que ele espera que poderia ser um método potencialmente mais rápido e mais fácil de rastrear infecções por coronavírus: gritando

Para verificar seu método, o inventor montou uma cabine nos arredores de Amsterdã, Países Baixos, próximo a um centro de testes do coronavírus e convidou pessoas que já passaram por um teste COVID-19 e sabem seu resultado para experimentá-lo.

"É sempre muito bom gritar, mas quando ninguém consegue ouvir você", comentou Soraya Assoud, 25 anos, que precisava de prova de teste negativo do coronavírus para uma viagem à Espanha.

"Eu acho que é uma boa maneira de meditar também [...] é divertido!"

As autoridades sanitárias do país ainda não comentaram a invenção, pois sabem pouco sobre ela.

Em um teste de COVID-19 tradicional, um cotonete é normalmente inserido na boca, após o que é passado sobre a garganta, ou na cavidade nasal e a pessoa sente algum desconforto durante o procedimento.

Existe outro teste de COVID-19 em oferta, um teste PCR retal, que médicos chineses consideram mais preciso do que qualquer outro método.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала