Biden prorroga emergência nacional dos EUA em relação à Venezuela

© REUTERS / Jonathan Ernst Presidente dos EUA, Joe Biden, mostra sua máscara durante evento sobre vacinação contra COVID-19 nos EUA, Washington, EUA, 25 de fevereiro de 2021
Presidente dos EUA, Joe Biden, mostra sua máscara durante evento sobre vacinação contra COVID-19 nos EUA, Washington, EUA, 25 de fevereiro de 2021  - Sputnik Brasil, 1920, 03.03.2021
Nos siga noTelegram
Nesta quarta-feira (3), o presidente norte-americano, Joe Biden, prorrogou por um ano a declaração de emergência nacional dos Estados Unidos com relação à Venezuela.

A decisão foi informada em um comunicado divulgado pela Casa Branca nesta quarta-feira (3).

"A situação na Venezuela continua a representar uma ameaça incomum e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos. Portanto, determinei que é necessário continuar a emergência nacional declarada na Ordem Executiva 13692 com relação à situação na Venezuela", disse Biden, conforme o documento.

A ordem executiva citada, que data ainda da administração do ex-presidente Barack Obama, mantém sanções e restrições de visto a vários altos funcionários da inteligência e segurança da Venezuela. A emergência nacional precisa ser renovada anualmente pelo presidente dos EUA.

© Sputnik / Aleksei Druzhinin / Abrir o banco de imagensPresidente venezuelano, Nicolás Maduro
Biden prorroga emergência nacional dos EUA em relação à Venezuela - Sputnik Brasil, 1920, 03.03.2021
Presidente venezuelano, Nicolás Maduro

Em 2018, a Venezuela realizou uma eleição presidencial na qual o atual presidente, Nicolás Maduro, foi reeleito. Os EUA, assim como diversos países aliados e o Brasil, não reconheceram os resultados da eleição e consideraram Maduro um presidente ilegítimo. Em seu lugar, apoiaram o então líder da oposição, o autoproclamado presidente interino venezuelano, Juan Guaidó, que tem perdido apoio interno e externo.

Além do suporte ao líder oposicionista, os EUA, então governados pelo ex-presidente Donald Trump, introduziram uma série de sanções contra o país latino-americano, afetando em grande parte a indústria do petróleo local, a principal fonte de recursos financeiros da Venezuela.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала