Bahrein apoia declaração da Arábia Saudita sobre relatório acerca da morte de Khashoggi

© AP Photo / Virginia MayoFILE - In this Jan. 29, 2011 file photo, Saudi journalist Jamal Khashoggi speaks on his cellphone at the World Economic Forum in Davos, Switzerland. Khashoggi was a Saudi insider
FILE - In this Jan. 29, 2011 file photo, Saudi journalist Jamal Khashoggi speaks on his cellphone at the World Economic Forum in Davos, Switzerland. Khashoggi was a Saudi insider - Sputnik Brasil, 1920, 26.02.2021
Nos siga noTelegram
O Bahrein expressou seu apoio à declaração do Ministério das Relações Exteriores da Arábia Saudita em relação ao relatório apresentado ao Congresso dos EUA sobre a morte do jornalista Jamal Khashoggi.

A informação foi publicada pela agência de notícias estatal do Bahrein (BNA) na noite desta sexta-feira (26).

"O Bahrein expressa sua rejeição a qualquer coisa que possa minar a soberania da Arábia Saudita e enfatiza a importância do papel fundamental da Arábia Saudita sob a liderança do rei Salman e seu príncipe herdeiro, sua política de moderação regional, na região árabe e internacionalmente, seus esforços para aumentar a segurança e estabilidade regional e promover a economia global de desenvolvimento", segundo a BNA.
© Foto / Ministério da Defesa da Rússia / Abrir o banco de imagensSalman Bin Abdulaziz Al Saud, rei da Arábia Saudita
Bahrein apoia declaração da Arábia Saudita sobre relatório acerca da morte de Khashoggi - Sputnik Brasil, 1920, 26.02.2021
Salman Bin Abdulaziz Al Saud, rei da Arábia Saudita

O governo de Joe Biden desclassificou nesta sexta-feira (26) um relatório de inteligência que acusa o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, de ter ordenado o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi na Turquia.

O presidente norte-americano Joe Biden, por sua vez, decidiu que é muito alto o custo de "penalizar diretamente" o príncipe saudita pelas alegações de que ele seria o responsável direto pelo assassinato de Khashoggi no consulado saudita em Istambul, na Turquia, segundo publicou o The New York Times, citando funcionários do governo americano.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала