Irã critica 'hipocrisia' ocidental em meio a relatos de expansão de usina nuclear em Israel

© REUTERS / Ministério das Relações Exteriores da TurquiaMohammad Javad Zarif, ministro das Relações Exteriores do Irã, participa de coletiva de imprensa conjunta com seu homólogo turco Mevlut Cavusoglu (fora da tela) em Istambul, Turquia, 29 de janeiro de 2021
Mohammad Javad Zarif, ministro das Relações Exteriores do Irã, participa de coletiva de imprensa conjunta com seu homólogo turco Mevlut Cavusoglu (fora da tela) em Istambul, Turquia, 29 de janeiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 21.02.2021
Nos siga noTelegram
O ministro das Relações Exteriores iraniano Mohammad Javad Zarif acusou as potências ocidentais de "hipocrisia" após relatos de que Israel está expandindo a sua instalação de produção de urânio enriquecido para armamento.

O chanceler iraniano postou neste sábado (20) um tweet referindo informações divulgadas pela mídia sobre novos trabalhos em andamento na instalação israelense de Dimona, localizada no deserto de Negev, o que enriquece o arsenal nuclear não oficial mas amplamente reconhecido de Israel.

Na sua postagem, ele questiona a AIEA, o presidente dos EUA Joe Biden, e os outros líderes dos países ocidentais participantes do acordo nuclear de 2015 com o Irã – o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, o presidente francês Emanuel Macron e a chanceler alemã Angela Merkel – se eles não estão "preocupados" com o desenvolvimento.

Israel está expandindo Dimona, a única usina de bombas nucleares da região. Estão seriamente preocupados? Preocupados? Um pouco? Gostariam de comentar? Eu bem sabia.

No início desta semana, o Reino Unido, França, Alemanha e os EUA exigiram que o Irã cessasse o enriquecimento de urânio.

Em janeiro, o representante oficial do governo iraniano, Ali Rabiei, anunciou o início do processo de enriquecimento de urânio a 20% no complexo nuclear subterrâneo de Fordow, em consequência da aprovação pelo parlamento de uma lei que prevê a produção anual de, pelo menos, 120 quilos de urânio enriquecido a 20%. Este grau de enriquecimento é muito inferior ao nível de 90% necessário para as armas nucleares, mas superior ao utilizado na maioria dos reatores nucleares.

As autoridades iranianas expressaram esperança quanto à promessa eleitoral do democrata Joe Biden de fazer os EUA retornarem ao acordo nuclear com o Irã.

Conhecido como JCPOA, o acordo foi alcançado em 2015 após anos de intensas negociações entre o Irã, EUA, Rússia, China, Reino Unido, França, Alemanha e União Europeia, e estabeleceu o alívio das sanções a Teerã em troca de restrições ao seu programa nuclear.

Em 2018, a administração norte-americana de Donald Trump anunciou sua saída unilateral do JCPOA, alegando violação do acordo nuclear por parte do Irã, apesar de inspeções internacionais confirmarem o cumprimento por este país, e o retorno à política de "pressão máxima" contra a nação persa. Isso levou Teerã a aumentar gradualmente a produção de urânio enriquecido.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала