Infecção pelo SARS-CoV-2 diminui 95,8% em Israel após 2ª dose da vacina da Pfizer

© AP Photo / Armando FrancaEnfermeiras portuguesas segurando caixas de Styrofoam para recolher doses da vacina da Pfizer/BioNTech contra COVID-19 para serem distribuídas nos hospitais de Lisboa
Enfermeiras portuguesas segurando caixas de Styrofoam para recolher doses da vacina da Pfizer/BioNTech contra COVID-19 para serem distribuídas nos hospitais de Lisboa - Sputnik Brasil, 1920, 21.02.2021
Nos siga noTelegram
No sábado (20), o Ministério da Saúde de Israel informou que o risco de infecção pelo novo coronavírus diminuiu 95,8% entre as pessoas que receberam duas doses da vacina da Pfizer. A vacinação no país já abrange quase metade da população, permitindo reabrir algumas áreas da economia.

As conclusões do Ministério da Saúde de Israel se baseiam em dados coletados no país em 13 de fevereiro de pessoas que receberam a segunda dose da vacina da Pfizer pelo menos duas semanas antes, de acordo com a Reuters.

As duas doses da vacina já foram administradas a cerca de 1,7 milhão de pessoas até 30 de janeiro, segundo a mídia, citando o Ministério da Saúde.

A vacina é 98% eficaz na prevenção de febre ou problemas respiratórios e tem eficácia de 98,9% na prevenção de hospitalizações e morte, disse o ministro israelense da Saúde.

Israel já administrou pelo menos uma dose da vacina da Pfizer a mais de 46% da sua população de 9 milhões de habitantes, informa o Ministério da Saúde do país.

O país reabriu alguns setores de sua economia no domingo (21). O governo do país afirmou que o início de um retorno à rotina era possível devido à campanha da vacinação.

As lojas estão abertas para todos, como antes. Mas o acesso aos locais de lazer como academias, hotéis e teatros foi limitado apenas para as pessoas que tomaram ambas as doses da vacina há mais de uma semana ou se recuperaram da doença, possuindo imunidade.

Essas pessoas recebem o chamado Green Pass (Crachá Verde, em português), exibido no aplicativo do Ministério da Saúde.

O uso de máscaras e distanciamento social ainda estão em vigor. As danças são proibidas nas salas de banquetes. Sinagogas, mesquitas ou igrejas são obrigadas a reduzir para metade seus lugares para os fiéis.

"Somos o primeiro país no mundo que está se recuperando graças a milhões de pessoas vacinadas", escreveu o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

"Estão vacinados? Recebam o Green Pass e voltem à vida", escreveu Netanyahu.

Além disso, o primeiro-ministro afirmou que espera que 95% dos israelenses acima de 50 anos sejam vacinados nas próximas duas semanas.

O Ministério da Saúde acaba de lançar o aplicativo Green Pass, ligado ao ficheiro médico pessoal, que as pessoas podem mostrar para ficarem em hotéis ou participarem de eventos culturais ou esportivos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала