Israel teria adquirido doses da Sputnik V para Síria em troca de cidadã detida no país, diz mídia

© AFP 2022 / Jalaa MareyImagens da fronteira entre Israel e Síria, nas Colinas de Golã (foto de arquivo)
Imagens da fronteira entre Israel e Síria, nas Colinas de Golã (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 20.02.2021
Nos siga noTelegram
Israel afirmou ter acordado adquirir um número desconhecido de doses da vacina russa para a Síria em troca de uma mulher israelense detida na República Árabe.

A cidadã israelense chegou ao Estado judeu na sexta-feira (19) através de Moscou, sendo depois questionada pela agência de segurança Shin Bet, informa The Times of Israel.

Segundo um relato, citado pela mídia, da agência de notícias Asharq Al-Awsat, com sede em Londres, publicado neste sábado (20), Israel estaria financiando a aquisição de doses da vacina Sputnik V para Damasco como parte de um acordo de troca de prisioneiros com o governo de Bashar Assad. A compra das doses em causa teria custado cerca de um milhão de dólares, segundo a mídia israelense.

Apesar da Asharq Al-Awsat ter reportado que "fontes informadas" em Israel confirmaram a existência de uma "cláusula secreta", o governo sírio negou sua existência, dizendo, através de comunicado publicado pela agência de notícias estatal SANA, que tudo isso seria apenas parte de uma "tentativa de pintar Israel como um país humano".

Tudo começou na noite de 2 para 3 de fevereiro, quando uma jovem de 25 anos atravessou a fronteira entre Israel e a Síria perto do monte Hérmon, uma área com poucas cercas e vigilância. Após a travessia bem-sucedida, a jovem entrou no povoado druso de Khader, onde acabou por ser capturada por suspeitas de espionagem e entregue à inteligência síria. No entanto, as autoridades depressa notaram que esse não seria o caso.

Damasco informou Moscou e Moscou passou a informação a Israel, iniciando assim as negociações para o retorno da mulher israelense. No final, Israel teve de libertar um prisioneiro de nacionalidade síria e dois pastores de modo a assegurar a liberdade de sua cidadã, conforme o artigo.

Na tarde de sexta-feira (19), o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, falou com a mãe da jovem, que agradeceu pelos esforços em libertar sua filha. Por sua vez, Netanyahu lhe desejou tudo de bom e afirmou que Israel sempre agiria para retornar seus cidadãos aprisionados.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала