Senador dos EUA defende desvinculação da economia chinesa para vencer a 'nova guerra fria'

© REUTERS / Hyungwon KangBandeiras dos EUA e China tremulando em um edifício em Washington, EUA (foto de arquivo)
Bandeiras dos EUA e China tremulando em um edifício em Washington, EUA (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 18.02.2021
Nos siga noTelegram
O senador republicano, Tom Cotton, declarou nesta quinta-feira (18) que os Estados Unidos devem acabar com a dependência econômica de Pequim nesta nova era da Guerra Fria para deter a ascensão da China.

Cotton apresentou um relatório que pede uma "dissociação seletiva" da economia chinesa e cortes massivos no número de estudantes chineses nos Estados Unidos.

"O maior desafio de política externa que os Estados Unidos enfrentam é a nossa nova Guerra Fria com a China; precisamos parar a ascensão da China", disse Cotton em um podcast da Fundação Reagan ao apresentar um relatório sobre como combater Pequim.

Em particular, ele exigiu o fim da concessão de vistos a estudantes chineses para fazerem estudos de pós-graduação em ciência e tecnologia.

​Cotton também pediu a punição de supostos violadores dos direitos humanos e empresas chinesas que roubam propriedade intelectual dos EUA.

"Uma nação como os Estados Unidos, que depende da China para medicamentos essenciais e suprimentos médicos, bem como os itens necessários para seus dispositivos de alta tecnologia e para manter seus aviões de combate no céu, não é segura e nem é uma superpotência, disse Cotton.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала