Ozônio pode funcionar como um poderoso desinfetante contra o coronavírus, diz estudo

© AP Photo / Patrick CullisAurora Boreal vista do Observatório de Pesquisa da Antártica, aonde foi descoberto o buraco na camada de ozônio da região, em 1987
Aurora Boreal vista do Observatório de Pesquisa da Antártica, aonde foi descoberto o buraco na camada de ozônio da região, em 1987 - Sputnik Brasil, 1920, 18.02.2021
Nos siga noTelegram
Segundo os pesquisadores, a descoberta da eficácia do gás ozônio no combate ao coronavírus é bastante vantajosa, já que o mesmo pode ser produzido de forma fácil e barata.

Estudo desenvolvido pela Universidade de Tel Aviv, descobriu que o gás ozônio pode desinfetar superfícies contaminadas pelo coronavírus, de acordo com o The Jerusalem Post.

Com base em estudos realizados anteriormente em relação a COVID-19 e sua propensão de permanecer ativa por várias horas ou dias, os pesquisadores demonstraram que o ozônio, um agente antibacteriano e antiviral comumente usado, pode efetivamente higienizar uma superfície após a exposição a baixas concentrações do gás. A pesquisa foi publicada na revista Environmental Chemistry Letters.

Embora o ozônio seja mais conhecido por estar na atmosfera e bloquear os raios ultravioleta prejudiciais, o gás também é um forte oxidante e desinfetante, frequentemente empregado no tratamento de água e esgoto. Para o estudo, os pesquisadores replicaram o processo de tratamento efetuado nesses setores, e assim, perceberam que o SARS-CoV-2 também era eliminado com sucesso.

"O ozônio gasoso é gerado a partir do gás oxigênio por descarga elétrica. Agora, pela primeira vez, conseguimos provar que é altamente eficiente também no combate ao coronavírus", frisou uma das autoras do estudo, dra. Ines Zucker, citada pela mídia.

Segundo os pesquisadores, o ozônio demonstrou a inativação de várias superfícies infectadas, mesmo em locais de difícil acesso, apresentando um alto nível de eliminação do vírus em minutos, com uma taxa de sucesso acima de 90%, segundo o portal EurekAlert!

"Sua vantagem sobre os desinfetantes comuns, como álcool e alvejante, é a capacidade de desinfetar objetos e aerossóis dentro de uma sala, e não apenas superfícies expostas, de forma rápida e sem perigo para a saúde pública", disse Zucker citada pela mídia.

A dra. ainda afirma que uma vez que o gás pode ser produzido de forma relativamente barata e fácil, deveria ser possível introduzi-lo em sistemas de desinfecção de ozônio em escala industrial para combater o surto da COVID-19.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала