Após prisão de rapper, manifestantes convocam protestos por toda a Espanha (VÍDEO)

© REUTERS / Lorena SopenaPrisão do rapper Pablo Hasél na Universidade de Lérida
Prisão do rapper Pablo Hasél na Universidade de Lérida - Sputnik Brasil, 1920, 16.02.2021
Nos siga noTelegram
Diversas cidades da Espanha serão palco de manifestações nesta semana contra a prisão nesta terça-feira (16) do rapper Pablo Hasél, condenado a nove meses de reclusão por enaltecimento do terrorismo e injúrias à monarquia.

"Eles levaram Pablo Hasél, mas hoje [16] encheremos as ruas de solidariedade", escreveu no Twitter a plataforma "Liberdade para Pablo Hasél", que convoca uma manifestação para as 19h00 locais (15h00 em Brasília) em Lérida, a cidade natal do artista.

Hoje [16] em Lérida, protesto contra a prisão de Pablo Hasél!

A mobilização também se repetirá em cidades das quatro províncias da Catalunha, incluindo uma manifestação em frente à Cidade da Justiça em Barcelona.

"Diante do encarceramento de Pablo Hasél para exigir não só a sua liberdade, mas também dos outros que sofreram represálias do regime e pela conquista de nossos direitos e liberdades democráticas", diz a convocação dos protestos em Barcelona, organizada pela plataforma Alerta Solidária.

Último comunicado antes da minha prisão. Hoje sou eu, amanhã pode ser você por denunciar os culpados de fo*** tantas vidas. Estão em jogo as nossas liberdades, não vamos deixar barato. Ganhar deles nesta disputa é possível.

Além da Catalunha, outras grandes cidades no restante da Espanha, como Madri e Bilbao, também serão palco de manifestações contra a prisão do artista.

"Acabam de sequestrar Pablo Hasél e o estão levando para a prisão por dizer verdades. Que esta injustiça não fique sem resposta, que sejamos um exemplo de solidariedade, de luta nas ruas e de antifascismo", denuncia o Movimento Antirrepressivo de Madri, responsável por convocar a mobilização na capital, que acontecerá amanhã (17) na Porta do Sol, no centro da cidade.

Hasél tem 33 anos e é nativo de Lérida, na Catalunha. O artista foi condenado em 2018 a nove meses de prisão por enaltecimento do terrorismo e injúrias à monarquia espanhola em dezenas de mensagens no Twitter e em um vídeo de uma música publicado no YouTube.

O músico também foi condenado a dois anos de prisão pela Audiência Nacional da Espanha em 2015 por enaltecimento do terrorismo em suas canções, mas a execução da pena ficou suspensa pela ausência de antecedentes criminais.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала