Violação 'flagrante': submarino nuclear dos EUA está perto das Malvinas, diz governador argentino

© Foto / Marinha dos EUA/Heather JudkinsSubmarino nuclear americano USS Newport News perto do litoral grego (foto de arquivo)
Submarino nuclear americano USS Newport News perto do litoral grego (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 12.02.2021
Nos siga noTelegram
A Argentina reivindica a soberania das Ilhas Malvinas desde 1833, ano em que o Reino Unido passou a ocupar as ilhas. Desde então, os dois países mantiveram uma disputa pela soberania da região.

O governador da província Terra do Fogo, na Argentina, Gustavo Melella, afirmou nesta sexta-feira (12) que um submarino nuclear dos EUA está manobrando com a cooperação de aviões britânicos perto das Ilhas Malvinas.

A introdução de um submarino nuclear em nosso Atlântico Sul, que, caso tivesse entrado em espaços soberanos argentinos seria um acontecimento sem precedentes em nossa história, implica um ato de extrema gravidade para todos os Estados da região

Trata-se do submarino de propulsão nuclear USS Greeneville (SSN 772). Na quarta-feira (11), o vice-almirante Daryl Caudle, do Comando da Frota do Atlântico da Marinha dos EUA, afirmou que "nossas forças submarinas contam com alianças e parcerias para deter a agressão marítima, defender nossos interesses nacionais e dominar o domínio submarino". No Twitter, o Comando da Frota do Atlântico comentou as manobras.

​Uma aeronave do Reino Unido do Território Ultramarino Independente Britânico (BIOT, na sigla em inglês) das Ilhas Malvinas colaborou recentemente com o USS Greeneville (SSN 772) no oceano aberto do Atlântico Sul, demonstrando o alcance global das forças de ambas as nações

Melella declarou que a presença do submarino nuclear é uma violação "flagrante" da Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul aprovada por resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). Ele também criticou a menção das Ilhas Malvinas como território britânico, "agindo contra as resoluções da ONU e a posição oficial do governo dos EUA".

Expressamos nossa mais extrema preocupação por esta ação inaceitável não só para nossa província e nosso país, mas para todos os cidadãos do mundo que lutam contra o colonialismo e para viver em um mundo sem armas nucleares

Há muito que a Argentina e o Reino Unido disputam as Ilhas Malvinas. A longa disputa levou a uma breve guerra em 1982. Os países retomaram suas relações diplomáticas em fevereiro de 1990, durante a gestão do ex-presidente Carlos Menem (1989-1999).

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала