Estado de saúde de Trump com a COVID-19 era mais sério do que foi relatado, diz NYT

© REUTERS / Carlos Barria Presidente dos EUA, Donald Trump, conversa com repórteres em Washington, EUA, 12 de janeiro de 2021
Presidente dos EUA, Donald Trump, conversa com repórteres em Washington, EUA, 12 de janeiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 12.02.2021
Nos siga noTelegram
Informações da mídia dos EUA dão conta de que o prognóstico chegou a ser tão preocupante que autoridades acreditaram que o ex-presidente precisaria ser colocado em um ventilador de oxigênio.

De acordo com informações do New York Times, o ex-presidente Donald Trump, ao contrair a COVID-19, ficou mais doente do que foi relatado publicamente na época, disseram quatro pessoas familiarizadas com sua condição à reportagem.

Trump teria atingido níveis extremamente baixos de oxigênio no sangue e apresentado um problema pulmonar associado à pneumonia causada pelo coronavírus.

O prognóstico do então presidente havia se tornado muito preocupante antes mesmo de sua chegada ao Centro Médico Militar Nacional Walter Reed.

© AP Photo / Evan VucciEm Bethesda, nos EUA, após internação por COVID-19, o presidente norte-americano, Donald Trump, deixa o Centro Médico Militar Nacional Walter Reed em direção à Casa Branca, em 5 de outubro
Estado de saúde de Trump com a COVID-19 era mais sério do que foi relatado, diz NYT - Sputnik Brasil, 1920, 12.02.2021
Em Bethesda, nos EUA, após internação por COVID-19, o presidente norte-americano, Donald Trump, deixa o Centro Médico Militar Nacional Walter Reed em direção à Casa Branca, em 5 de outubro
Os entrevistados ouvidos pela publicação disseram que ele teve infiltrações pulmonares. A presença dessas infiltrações, principalmente quando o paciente apresenta outros sintomas, pode ser um sinal de um quadro agudo da doença. 

Eles revelaram que o nível de oxigênio no sangue de Trump era motivo de extrema preocupação, chegando à casa dos 80. A doença é considerada grave quando o nível de oxigênio no sangue cai para a casa dos 90.

Foi relatado anteriormente que Trump teve problemas para respirar e febre em 2 de outubro, o dia em que foi levado ao hospital, e os tipos de tratamento que recebeu indicavam que sua condição era grave.

Mas os novos detalhes sobre sua condição e sobre o esforço dentro da Casa Branca para conseguir acesso especial a uma droga não aprovada para combater o vírus ajudam a concretizar um dos episódios mais terríveis da presidência de Trump, como avalia o jornal.

Trump recebeu um medicamento desenvolvido pela empresa de biotecnologia Regeneron Pharmaceuticals. A mistura de anticorpos - não amplamente disponível na época - ajuda as pessoas infectadas com o vírus a combatê-lo.

© AFP 2022 / Mandel NganPresidente dos EUA Donald Trump e primeira-dama Melania Trump saem da Casa Branca, Washington, Estados Unidos, 20 de janeiro de 2021
Estado de saúde de Trump com a COVID-19 era mais sério do que foi relatado, diz NYT - Sputnik Brasil, 1920, 12.02.2021
Presidente dos EUA Donald Trump e primeira-dama Melania Trump saem da Casa Branca, Washington, Estados Unidos, 20 de janeiro de 2021

O jornal sustenta ainda que o ex-presidente resistiu em ser levado da Casa Branca para Walter Reed, cedendo apenas quando assessores lhe disseram que ele poderia sair por conta própria ou arriscar esperar até que o Serviço Secreto dos Estados Unidos fosse forçado a carregá-lo caso ficasse mais doente.

Aos 74 anos e acima do peso, ele corria o risco de contrair a forma grave da doença e recebeu um tratamento agressivo. Trump deixou o hospital depois de três dias.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала