Impeachment de Trump: democratas exibem imagens inéditas da invasão ao Capitólio (VÍDEOS)

© REUTERS / Carlos BarriaPresidente dos EUA, Donald Trump, assina placa em sua homenagem na fronteira entre os EUA e o México, em Alamo, Texas, 12 de janeiro de 2021
Presidente dos EUA, Donald Trump, assina placa em sua homenagem na fronteira entre os EUA e o México, em Alamo, Texas, 12 de janeiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 10.02.2021
Nos siga noTelegram
Os membros do Partido Democrata que atuam como promotores de acusação no julgamento de impeachment contra Donald Trump exibiram nesta quarta-feira (10) novos vídeos e áudios que, segundo eles, ajudam a incriminar o ex-presidente dos Estados Unidos.

Os vídeos mostram a multidão de manifestantes invadindo o Capitólio, quebrando janelas e portas e procurando pelo vice-presidente Mike Pence e pela presidente da Câmara, Nancy Pelosi, enquanto a polícia, sufocada, implorava por ajuda pelos rádios.

Em outros vídeos, deputados e senadores são vistos fugindo da multidão, que forçava a entrada em vários espaços do Capitólio gritando "hang Mike Pence" (em português, "enforque Mike Pence"). As imagens mostram ainda invasores mexendo nos pertences e documentos dos parlamentares, inclusive folheando e arrancando folhas de fichários.

Em um momento forte, o vídeo mostra policiais atirando na multidão através de uma janela quebrada. Os disparos atingem e matam uma mulher, Ashli ​​Babbitt.

O vice-presidente, que presidia uma sessão para certificar a vitória de Joe Biden sobre Trump, é mostrado sendo levado às pressas para um lugar seguro, onde se refugiou em um escritório com sua família a apenas 30 metros dos manifestantes. Pelosi foi evacuada do complexo enquanto sua equipe se escondia atrás das portas em seus escritórios.

"Eles fizeram isso porque Donald Trump os enviou nesta missão", disse a promotora Stacey Plaskett, no Senado.

​Durante o segundo dia do julgamento do impeachment de Donald Trump no Senado, os deputados Stacey Plaskett e Eric Swalwell mostraram imagens inéditas de segurança que mostram o momento em que manifestantes invadiram o Capitólio dos Estados Unidos durante o motim de 6 de janeiro.

Os promotores argumentam que Trump não é um "espectador inocente" do episódio, mas o "incitador-chefe" da invasão ao Capitólio. Os democratas da Câmara reuniram pilhas de evidências: centenas de tweets e comentários de Trump que culminaram em seu grito de guerra no dia 6 de janeiro para que a multidão invadisse o Capitólio para "lutar como o inferno". Cinco pessoas morreram na ocasião.

O deputado Joe Neguse, do Colorado, disse que as palavras de Trump não foram um simples discurso: "Os apoiadores de Trump estavam preparados e armados, prontos para invadir o Capitólio. Quando eles ouviram seu discurso, eles entenderam suas palavras’’, disse, citado pela AP.

"Ele disse ao grupo para que lutassem como o diabo, e eles nos trouxeram o inferno naquele dia", afirmou o deputado democrata Jamie Raskin.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала