Egito liberta jornalista da Al-Jazeera que estava detido desde 2016

© East News / Polaris Images A emissora qatarense Al-Jazeera
 A emissora qatarense Al-Jazeera - Sputnik Brasil, 1920, 06.02.2021
Nos siga noTelegram
As autoridades do Egito libertaram neste sábado (6) um jornalista da emissora Al-Jazeera, do Qatar, depois de mais de quatro anos detido, informou o advogado de sua família.

Mahmoud Hussein deixou a delegacia de polícia na tarde de hoje (6), poucos dias depois que um tribunal ordenou sua libertação condicional, enquanto ainda estão pendentes as investigações sobre as acusações de publicação de informações falsas e de pertencer a um grupo proibido, disse o advogado Gamal Eid, segundo a agência de notícias Associated Press.

Além disso, o advogado informou que Hussein terá que comparecer a uma delegacia de polícia duas vezes por semana.

A filha do jornalista, Az-Zahraa Hussein, confirmou a notícia em uma publicação no Facebook, dizendo que seu pai havia chegado em casa. A Al-Jazeera também relatou sua libertação.

Mahmoud Hussein, jornalista da Al-Jazeera, é libertado da prisão no Egito.

Hussein, um egípcio que trabalhava para a emissora baseada no Qatar, foi detido no aeroporto do Cairo em dezembro de 2016, quando chegou de férias com a família de Doha, segundo a emissora.

Desde a queda do presidente Mohamed Mursi em 2013, as autoridades egípcias e a mídia pró-governo têm retratado a Al-Jazeera como o inimigo nacional do Egito por sua simpatia para com os islâmicos, especialmente o grupo Irmandade Muçulmana, organização terrorista proibida na Rússia e em outros países.

© AP Photo / Osama FaisalEstúdio da Al-Jazeera International em Doha, Qatar
Egito liberta jornalista da Al-Jazeera que estava detido desde 2016 - Sputnik Brasil, 1920, 06.02.2021
Estúdio da Al-Jazeera International em Doha, Qatar

A rede, especialmente o seu serviço em idioma árabe, e sua equipe têm se envolvido em um conflito político mais amplo entre Cairo e Doha. As autoridades egípcias bloquearam o site de notícias da Al-Jazeera desde 2017, junto com dezenas de outros sites de notícias considerados muito críticos do governo.

A libertação de Hussein acontece um mês depois de Egito, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Bahrein encerrarem a disputa com o Qatar, que começou em 2017 e incluiu os quatro países que romperam laços diplomáticos e econômicos diplomáticos com Doha.

Os quatro países acusaram o Qatar de se aproximar do Irã e de financiar grupos extremistas na região. Doha, por sua vez, negou as acusações. A Al-Jazeera também esteve no centro dessa disputa, depois que, as quatro nações, entre outras medidas, exigiram o fechamento do canal, o que o Qatar rejeitou.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала