- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Insumos para produzir vacina de Oxford chegam ao Brasil em 2 dias, diz ministério

© REUTERS / Ueslei MarcelinoFuncionária de saúde aplica dose da vacina de Oxford contra coronavírus em hospital de Brasília
Funcionária de saúde aplica dose da vacina de Oxford contra coronavírus em hospital de Brasília - Sputnik Brasil, 1920, 04.02.2021
Nos siga noTelegram
Os insumos, matéria-prima essencial para a Fiocruz produzir o imunizante, chegarão ao Brasil neste sábado (6), informou o Ministério da Saúde nesta quinta-feira (4). 

O primeiro lote do composto, conhecido como insumo farmacêutico ativo (IFA), será suficiente para a fabricação de 7,5 milhões de doses. 

Inicialmente, a previsão de chegada dos insumos era dezembro. O atraso na importação dos ingredientes fez com que a Fiocruz adiasse a entrega de doses da vacina de fevereiro para março. O imunizante foi desenvolvido pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, e o laboratório AstraZeneca.

Por meio de um acordo de transferência de tecnologia, a Fiocruz produzirá a vacina no Brasil. O imunizante já obteve autorização para uso emergencial da Anvisa, mas falta ainda o registro definitivo, que possibilitará a produção em larga escala. 

Até julho, 100 milhões de doses

A Fiocruz enviou no dia 29 de janeiro para a agência pedido para registro definitivo do imunizante. A vacina de Oxford já está sendo aplicada na população, com dois milhões de doses adquiridas junto à Índia. 

Após esse primeiro lote, outras 13 remessas de insumos vindos da China estão previstas por contrato. Segundo especialistas, a China pode ter dificultado a liberação dos ingredientes devido às críticas que autoridades brasileiras fizeram ao país asiático. 

Os ingredientes, de acordo com informação da TV Globo, sairão de Xangai ainda nesta quinta-feira (4), desembarcando no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro no sábado (6), às 17h50. 

A previsão da Fiocruz é de produção de 100 milhões de doses até o fim de julho. No mês passado, a China autorizou a saída de lote de insumos para a produção da CoronaVac, que será fabricada pelo Instituto Butantan, em São Paulo. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала