Colômbia anuncia assinatura de contrato de confidencialidade para compra da vacina russa Sputnik V

© Sputnik / Aleksei KudenkoAgente da Saúde segura caixa da vacina Sputnik V, em ponto de vacinação na Praça Vermelha, Moscou, Rússia, 18 de janeiro de 2021
Agente da Saúde segura caixa da vacina Sputnik V, em ponto de vacinação na Praça Vermelha, Moscou, Rússia, 18 de janeiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 04.02.2021
Nos siga noTelegram
O ministro da Saúde colombiano, Fernando Ruiz, revelou na quarta-feira (3) que o governo assinou contrato de confidencialidade para a aquisição da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19.

O anúncio foi oficializado um dia após serem publicados pela revista The Lancet os resultados intermediários dos testes clínicos de terceira fase que, por sua vez, confirmaram a eficácia de 91,6% da Sputnik V.

Há três semanas, assinamos contrato de confidencialidade para negociar a aquisição da vacina russa Sputnik V. Em prevenção e ação, o ministro Fernando Ruiz deu mais detalhes a respeito do assunto.

Ruiz detalhou que o governo colombiano está a par da publicação dos estudos que evidenciaram "eficácia e segurança" da vacina que foi desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya.

"Continuamos todas as conversações sobre a Sputnik [V], e está aberta a possibilidade da aquisição desta vacina", informou o ministro, apesar de não ter fornecido mais detalhes da compra da vacina.

Sobre a eficácia da Sputnik V

Em 2 de fevereiro, a prestigiada revista The Lancet publicou os resultados intermediários dos testes clínicos de terceira fase da vacina Sputnik V, mostrando não ocasionar efeitos secundários graves.

Após a coleta de dados de cerca de 19.866 voluntários – dos quais 4.902 estariam no grupo placebo – foi descoberto que a Sputnik V tem uma eficácia de 91,6%, que aumenta para 91,8% entre o grupo de 2.144 voluntários de mais de 60 anos.

Vacinação na Colômbia

No dia 20 de fevereiro, a Colômbia dará início à implementação do Plano Nacional de Vacinação, priorizando os profissionais de saúde e as pessoas de mais de 60 anos.

Até quarta-feira (3), o governo teria contratos de compra de 61,5 milhões de doses para vacinar um total de 35,2 milhões de pessoas, no âmbito de acordos com Pfizer, AstraZeneca, Janssen, Moderna, Sinovac, e através do mecanismo COVAX, promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Desde o início da pandemia, a Colômbia registrou cerca de 54.877 mortes por COVID-19 e um total de 2.125.622 casos positivos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала