- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta segunda-feira, 14 de dezembro

© REUTERS / Cheriss MayPresidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, Washington, EUA, 12 de dezembro de 2020
Presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, Washington, EUA, 12 de dezembro de 2020  - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as notícias mais relevantes desta segunda-feira (14), na qual Colégio Eleitoral dos EUA se reúne para definir eleições presidenciais, ataque contra petroleiro abala infraestrutura petrolífera da Arábia Saudita e Bolsonaro mantém 37% de aprovação, apesar da pandemia.

Aprovação do governo Bolsonaro segue em 37%, aponta Datafolha

Neste domingo (14), nova pesquisa do Datafolha apontou que o presidente Jair Bolsonaro manteve o índice de aprovação de 37%, o mais elevado desde o início de seu mandato. A aprovação é a mesma da pesquisa anterior, realizada em agosto deste ano. Entre os entrevistados, 37% consideram o governo ótimo ou bom, 29% consideram regular, contra 32% que o avaliam como ruim ou péssimo. Além disso, 52% dos entrevistados isentam Bolsonaro de responsabilidade sobre as mais de 181 mil mortes por COVID-19 confirmadas no país. Bolsonaro é o presidente com a pior avaliação dentre os demais eleitos em primeiro mandato desde a redemocratização, em 1985, à exceção de Fernando Collor. Em etapa equivalente de seus mandatos, Fernando Henrique Cardoso tinha 45% de aprovação, Lula 47% e Dilma 62%, informou a Folha de São Paulo.

© REUTERS / Ueslei MarcelinoPresidente do Brasil, Jair Bolsonaro, boceja durante fórum sobre combate à corrupção no Palácio do Planalto, 9 de dezembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta segunda-feira, 14 de dezembro   - Sputnik Brasil
Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, boceja durante fórum sobre combate à corrupção no Palácio do Planalto, 9 de dezembro de 2020

Ministério da Saúde tem 48h para apresentar cronograma de vacinação ao STF

O Ministério da Saúde tem até 48h para apresentar data de início e término do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a COVID-19, determinou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, neste domingo (13). No entanto, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, afirmou em vídeo divulgado pela pasta que seria "irresponsável darmos datas específicas para o início da vacinação". Neste sábado (12), o governo encaminhou ao STF o Plano Nacional de Vacinação contra a COVID-19, que prevê a compra de 108,3 milhões de doses de vacina para imunizar mais de 51 milhões de pessoas. O documento não especifica data para o início da campanha, que seria dividida em quatro fases.

© REUTERS / Rebecca NadenPedestre passa ao lado de novo trabalho do artista de rua Banksy, na cidade de Bristol, Reino Unido, 11 de dezembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta segunda-feira, 14 de dezembro   - Sputnik Brasil
Pedestre passa ao lado de novo trabalho do artista de rua Banksy, na cidade de Bristol, Reino Unido, 11 de dezembro de 2020

Atirador de Nova York carregava gasolina, cordas, cabos, facas e uma Bíblia, diz policial

Atirador que abriu fogo contra fiéis na Catedral de São João, o Divino, em Nova York, carregava mochila com um galão de gasolina, cordas, cabos, diversas facas e uma Bíblia, disse o policial comissário da cidade, Dermont Shea, durante conferência de imprensa. Na tarde deste domingo (13), um atirador abriu fogo contra fiéis após a celebração dos cantos de Natal. "Pela graça de Deus, ninguém foi atingido", disse Shea. Anteriormente, o porta-voz da polícia nova iorquina havia dito à Sputnik que o atirador foi executado e alguns policiais encaminhados para hospitais para avaliação médica após o tiroteio. De acordo com Shea, o atirador tinha antecedentes criminais.

© REUTERS / Jeenah Moon Atirador usa máscara protetora durante ataque à Catedral de São João, o Divino, em Nova York, EUA, 13 de dezembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta segunda-feira, 14 de dezembro   - Sputnik Brasil
Atirador usa máscara protetora durante ataque à Catedral de São João, o Divino, em Nova York, EUA, 13 de dezembro de 2020

Colégio Eleitoral se reúne para definir eleições presidenciais nos EUA

Nesta segunda-feira (14), os 538 membros do Colégio Eleitoral norte-americano devem se reunir para votarem para a presidência dos EUA. Caso as previsões se confirmem, o candidato democrata, Joe Biden, deve receber 306 dos votos, contra 232 do seu oponente republicano, Donald Trump. A Constituição dos EUA reserva ao Colégio Eleitoral o direito de eleger o presidente da República, em modelo indireto de eleição presidencial, distinto do brasileiro. Os membros se reúnem em seus respectivos estados, e seus votos são posteriormente encaminhados para o Congresso, que deverá contar as cédulas e oficializar os resultados das eleições no dia 6 de janeiro de 2021.

© REUTERS / Jonathan ErnstApoiador de Donald Trump durante ato contra os resultados das eleições presidenciais norte-americanas, Washington, EUA, 12 de dezembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta segunda-feira, 14 de dezembro   - Sputnik Brasil
Apoiador de Donald Trump durante ato contra os resultados das eleições presidenciais norte-americanas, Washington, EUA, 12 de dezembro de 2020

Tikhanovskaya expressa frustração com resposta europeia à crise na Bielorrússia

Em entrevista à revista The New Yorker, a líder opositora bielorrussa, Svetlana Tikhanovskaya, disse que a Europa não pode fazer nada além de expressar preocupação com a situação na Bielorrússia. "Eu achava que a Europa estava tão perto e era tão grande, que seus líderes eram tão poderosos, que com certeza fariam algo", relatou Tikhanovskaya. "Agora eu vejo que, apesar de eles expressarem sua preocupação e solidariedade, não há nada que realmente possam fazer." Tikhanovskaya deixou a Bielorrússia após as eleições presidenciais de 9 de agosto, que desencadearam crise política no país.

© REUTERS / BelTA/Maxim GuchekPresidente da Bielorrússia, Aleksandr Lukashenko, durante visita à hospital na cidade de Stolbtsy, 8 de dezembro de 2020
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta segunda-feira, 14 de dezembro   - Sputnik Brasil
Presidente da Bielorrússia, Aleksandr Lukashenko, durante visita à hospital na cidade de Stolbtsy, 8 de dezembro de 2020

Ataque gera incêndio em petroleiro em águas marítimas sauditas

Nesta segunda-feira (14), um petroleiro com bandeira de Singapura foi atacado conforme se afastava do porto saudita de Jidá. "O [petroleiro] BW Rhine foi atingido por uma fonte externa [...] causando uma explosão e subsequente incêndio a bordo", informou a empresa Hafnia, responsável pela embarcação, segundo a AFP. O porto de Jidá é essencial para a logística da gigante do petróleo saudita, Saudi Aramco. O incidente se insere no contexto de ataques contra a infraestrutura petrolífera da Arábia Saudita, que lidera uma coalisão de países em guerra no Iêmen. Até agora, nenhum grupo assumiu a autoria dos ataques, que não deixou feridos, informou a Hafnia em nota.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала