- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

COVID-19: governo federal entrega ao STF plano nacional de imunização

Nos siga noTelegram
O advogado-geral da União, José Levi, entregou neste sábado (12), ao Supremo Tribunal Federal (STF), o plano nacional de imunização contra a COVID-19 elaborado pelo Ministério da Saúde.

O documento intitulado "Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a COVID-19" foi entregue ao STF e foi anexado às ações que devem ser julgadas nesta semana pela Corte.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil "garantiu" 300 milhões de doses de vacinas através de acordos com a AstraZeneca, de 100,4 milhões de doses até julho e mais 30 milhões no segundo semestre; Covax Facility, com 42,5 milhões de doses; e Pfizer, com 70 milhões de doses ainda em negociação. As informações foram publicadas pelo portal G1.

© Folhapress / Cláudio Reis/FramePhotoEduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, faz pronunciamento à imprensa.
COVID-19: governo federal entrega ao STF plano nacional de imunização - Sputnik Brasil
Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, faz pronunciamento à imprensa.

O plano é dividido em dez eixos e detalha como serão feitas as aplicações das vacinas, o orçamento e inclui peças publicitárias que incentivam a população brasileira a se vacinar.

O documento lista 13 vacinas candidatas, entre elas a CoronaVac, que está sendo fabricada pelo Instituto Butantan em parceria com a fabricante chinesa Sinovac.

Segundo o Ministério da Saúde, serão necessárias cerca de 108 milhões doses para a vacinação de trabalhadores da saúde, idosos e outros grupos que necessitam de imunização prioritária.

No último dia 25 de novembro, o ministro Ricardo Lewandowski apresentou voto antecipado a favor de que o governo apresentasse o plano em 30 dias.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não aprovou até o momento nenhuma vacina para imunização da população brasileira.

O Ministério da Saúde calcula que a interrupção da circulação do vírus no Brasil depende de uma vacina "altamente eficaz" aplicada em mais de 70% da população.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала