Carta na manga: Alemanha cria método para 'driblar' sanções dos EUA pelo Nord Stream 2

© AFP 2022 / JOHN MACDOUGALLVista do terminal do Nord Stream antes da cerimônia inaugural do primeiro gasoduto duplo de 1.224 quilômetros através do mar Báltico, em Lubmin, na Alemanha, em 8 de novembro de 2011
Vista do terminal do Nord Stream antes da cerimônia inaugural do primeiro gasoduto duplo de 1.224 quilômetros através do mar Báltico, em Lubmin, na Alemanha, em 8 de novembro de 2011 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Alemanha registrará um Fundo de Proteção Climática que classifica o gasoduto Nord Stream 2 (Corrente do Norte 2) como "o componente mais importante para a proteção do meio ambiente" e mediará na finalização e entrada em funcionamento do projeto.

De acordo com o jornal Bild, para "driblar" as sanções dos EUA contra o gasoduto russo, nos próximos dias a Alemanha criará um "fundo de proteção do clima" que identificará o Nord Stream 2 como o "componente mais importante para a proteção do meio ambiente em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental", fazendo todo o possível para o completar e colocar em funcionamento.

Por sua vez, as empresas alemãs ameaçadas pelas sanções norte-americanas fornecerão oficialmente seus serviços e instalações para esta mesma base para a finalização do oleoduto.

Do ponto de vista técnico, nenhuma empresa vai interagir com o Nord Stream 2. Desta maneira, não haverá fundamentos para as sanções norte-americanas e isso vai colocar o projeto em andamento.

Além disso, o Escritório Federal Alemão de Navegação e Hidrografia acordou retomar os trabalhos de construção do gasoduto em dezembro. Também ressaltou que está considerando uma solicitação para continuar os trabalhos de construção entre janeiro e abril de 2021.

Até o momento, nenhum dos participantes do Nord Stream 2 abandonou o projeto, apesar da pressão norte-americana.

Por sua vez, o operador de construção, Nord Stream 2 AG, declarou que o gasoduto está quase 100% financiado. Segundo a empresa, o projeto conta com todos os recursos e apoios financeiros necessários para completar a construção e colocá-lo em funcionamento.

O gasoduto Nord Stream 2, impulsionado por uma aliança de empresas da Rússia, Alemanha, Áustria, França e Países Baixos, será conectado aos dois primeiros países pelo fundo do mar Báltico.

© Sputnik / Ilia PitalevCapacete de trabalhador do projeto Nord Stream 2, em pátio na região de Leningrado. O gasoduto deve sair da costa russa em direção à Alemanha
Carta na manga: Alemanha cria método para 'driblar' sanções dos EUA pelo Nord Stream 2 - Sputnik Brasil
Capacete de trabalhador do projeto Nord Stream 2, em pátio na região de Leningrado. O gasoduto deve sair da costa russa em direção à Alemanha

A infraestrutura, concebida para diversificar as rotas do fornecimento de gás russo à Europa e elevar a segurança energética, constará de dois ramais para transportar até 55 bilhões de metros cúbicos de gás natural.

A construção foi suspensa em dezembro de 2019 depois que Washington ameaçou com sanções a empresa suíça Allseas, que realiza as obras.

No início do mês passado, a Câmara dos Representantes e o Senado dos EUA decidiram impor sanções contra o Nord Stream 2 no orçamento de defesa a partir do ano fiscal de 2021.

As restrições às empresas de seguros e de certificação que ajudam a Rússia a completar a construção do gasoduto foram estabelecidas na Lei de Defesa Nacional de 2021, cuja aprovação está prevista para o final deste ano.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала