Falando sobre eleições nos EUA, presidente do México reitera princípio de não intervenção

© REUTERS / Henry RomeroAndres Manuel Lopez Obrador, leader of the National Regeneration Movement (MORENA) party, gives a speech to supporters in Zumpango, Mexico
Andres Manuel Lopez Obrador, leader of the National Regeneration Movement (MORENA) party, gives a speech to supporters in Zumpango, Mexico - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Ao ser consultado sobre as eleições nos EUA, o presidente do México afirmou hoje (25) que aplica o princípio de não intervenção e que é contrário às felicitações antecipadas, antes dos resultados definitivos.

Andrés Manuel López Obrador se recusou, mais uma vez, a cumprimentar Joe Biden nesta quarta-feira (25) pela vitória projetada nas eleições norte-americanas e acrescentou que só vai se pronunciar depois que o processo tiver sido finalizado.

O líder mexicano acrescentou que não tem nada contra qualquer candidato ou partido no processo eleitoral nos Estados Unidos, mas que prefere se abster de fazer qualquer comentário enquanto os procedimentos não tiverem sido concluídos.

"De acordo com a Constituição mexicana, devemos aplicar os princípios de não intervenção e de autodeterminação dos povos [...]. O respeito à legislação estrangeira é a paz. Então não há motivos para se precipitar, quando o processo eleitoral nos EUA terminar, haverá um pronunciamento [...]. Não concordamos com manifestações antecipadas", disse Obrador aos jornalistas nesta quarta-feira (25).

A violência de gênero é incompatível com a Quarta Transformação. Coletiva de imprensa matutina.

A pergunta aconteceu ao final de uma coletiva de imprensa na qual o governo mexicano apresentou um relatório por ocasião do Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher, que revela que seis em cada dez mulheres no país já sofreram algum tipo de violência. A jornalista mencionou que o presidente da China, Xi Jinping, tinha acabado de felicitar Joe Biden pela vitória nas eleições americanas e perguntou a López Obrador quando ele pretendia fazê-lo também.

"Estamos esperando que as coisas se resolvam. Ontem [24], saiu um tweet de Trump dizendo algo sobre a transição e todos disseram 'ele [Trump] já aceitou [a derrota], não há mais o que fazer'. Depois saiu outro tweet dizendo outra coisa. Bom, para mim o que é melhor a fazer? Esperar", disse López Obrador.

Na segunda-feira (23), a Administração de Serviços Gerais (GSA, na sigla em inglês), agência encarregada de autorizar o início do processo de transição nos Estados Unidos, informou à equipe de Joe Biden que os procedimentos poderiam começar oficialmente.

A informação foi publicada pelo próprio presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no Twitter, na qual recomendou que deveria ser feito o necessário em relação "aos protocolos iniciais" de transição. O líder norte-americano, no entanto, tuitou depois que o GSA não define quem será o presidente do país.

Lembrem-se, a GSA tem sido ótima, e Emily Murphy vem fazendo um ótimo trabalho, mas a GSA não determina quem será o próximo presidente dos Estados Unidos.

Depois da mensagem enviada hoje (25) por Xi Jinping, apenas López Obrador, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro e o chefe de Estado da Rússia Vladimir Putin ainda estão entre os grandes líderes mundiais que não parabenizaram Biden por sua vitória nas eleições norte-americanas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала