- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

TSE contabiliza 264 crimes de violência contra candidatos desde o início de 2020 (VÍDEO)

Nos siga noTelegram
Do início do ano até agora, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contabilizou 264 crimes de violência contra candidatos e pré-candidatos nas eleições municipais de 2020.

Do total, cerca de 100 desses crimes foram homicídios consumados ou tentados. As informações foram publicadas pela Agência Brasil.

O levantamento parcial foi apresentado nesta-terça-feira (24) pelo presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, e mostra um aumento de cinco vezes em relação ao registrado no mesmo período de 2016, últimas eleições municipais.

Em pronunciamento nas redes sociais, Barroso destacou como ponto de atenção o aumento dos crimes contra candidatos nas eleições deste ano.

"A violência é incompatível com a democracia. É preciso jogar limpo e civilizadamente e os órgãos de segurança pública estão vigilantes em relação ao crime organizado", disse Barroso.

O ministro destacou ainda que, apesar de os crimes eleitorais, como boca de urna, compra de votos e transporte ilegal de eleitores, terem diminuído neste ano, os crimes contra a vida de candidatos aumentaram.

De acordo com o TSE, dos 100 homicídios tentados ou consumados contra candidatos desde janeiro, 67 ocorreram somente em outubro e dezembro, quando todas as candidaturas já estavam confirmadas pelos partidos.

Desde janeiro, 45 candidatos e pré-candidatos foram assassinados, 12 dos quais entre outubro e novembro. A maior parte dos casos ocorreu no Sudeste.

Barroso apela contra violência de gênero nas campanhas

Barroso rechaçou a alta taxa de violência por motivação política, especialmente contra mulheres. Neste ano, houve um aumento no número de vereadoras eleitas, no primeiro turno, com mais de 50 mulheres candidatas a prefeitas e vice-prefeitas, no segundo turno.

"A violência física ou moral contra as mulheres pelo simples fato de serem mulheres é inaceitável. Esse tipo de atitude, esse tipo de comportamento é pior do que machismo, é, na verdade, covardia".

O ministro fez um apelo para que mais mulheres participassem da política brasileira.

"Precisamos de mais mulheres na política e, portanto, precisamos derrotar essa cultura do atraso, da discriminação, do preconceito e das agressões às mulheres. Mais mulheres na política. Elas podem. O Brasil precisa", concluiu Barroso.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала