Recuperação da economia chinesa acelera ao passo que o país volta à normalidade após COVID-19

© AP Photo / Mark SchiefelbeinChineses vestem máscaras rumo a uma estação de metrô em Pequim, na China
Chineses vestem máscaras rumo a uma estação de metrô em Pequim, na China - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em outubro, a produção industrial cresceu 6,9% em termos anuais, ao mesmo tempo em que a perspectiva de consumo e o setor de serviços também alcançaram bons resultados.

A economia chinesa continua a voltar à normalidade após a onda da COVID-19.

Em outubro, sua recuperação acelerou sendo impulsionada pelo apoio fiscal crescente, segundo os últimos dados da Escritório Nacional de Estatísticas da China (NBS na sigla em inglês).

No mês passado, o crescimento da produção industrial chinesa, em termos anuais, subiu 6,9% como no mês de setembro. Enquanto isso, o principal índice de produção de bens industriais aumentou de 5,8% para 8,7%, e os investimentos do capital cresceram 1,7% em relação a setembro.

A situação do consumo também melhorou, com uma subida nas vendas do varejo de 3,3% para 4,3%, números parecidos com o ritmo anterior à pandemia.

Além disso, foi registrado o crescimento recorde em 18 meses no setor de serviços de 7,4% face aos 5,4% anteriores. Por outra lado, a taxa de desemprego caiu apenas em 0,1% em comparação ao final de 2019.

O produto interno bruto (PIB) chinês aumentou em 4,9% em relação ao ano anterior no terceiro trimestre, após o crescimento de 3,2% no segundo trimestre e queda de 6,8% no primeiro.

Como resultado, nos primeiro nove meses de 2020, o indicador está em taxas positivas com a expansão do PIB em 0,7% em comparação ao mesmo período do ano passado.

Desta forma, é possível que a China seja a única grande economia que tenha crescimento neste ano turbulento.

O Fundo Monetário Internacional prevê que o PIB chinês aumente 1,9% em 2020, enquanto os países emergentes e desenvolvidos poderão cair entre 5,7% e 5,8%. Ainda assim, o crescimento do gigante asiático pode chegar a 8,2% em 2021, segundo o Fundo Monetário Internacional.

A China foi o primeiro país a enfrentar a pandemia do coronavírus e também o primeiro a controlar a propagação do vírus em nível nacional, enquanto o número de infeções continua aumentando em todo o mundo.

De acordo com especialistas, a recuperação rápida do país é produto da política rigorosa em relação ao o controle dos cidadãos e às medidas de isolamento social no combate a pandemia.

O que também ajuda na recuperação da economia chinesa é o fato de o governo ter introduzido uma série de pacotes de estímulos, proporcionando fundos para ajudar os consumidores e as empresas face às percas econômicas, o que repercutiu em um impulso do crescimento.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала