OMS registra recorde diário de novos casos de COVID-19

© AP Photo / Rick BowmerEm Ogden, nos Estados Unidos, Rachel Arden instrui alunos da Universidade Estadual Weber como administrar um teste rápido de COVID-19, em 11 de novembro de 2020
Em Ogden, nos Estados Unidos, Rachel Arden instrui alunos da Universidade Estadual Weber como administrar um teste rápido de COVID-19, em 11 de novembro de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou neste domingo (15) que o mundo registrou um recorde de novos casos diários de COVID-19 ao longo deste fim de semana.

De acordo com os números da organização, no sábado (14) foram reportados 660.905 casos de coronavírus, o índice mais alto de infecções diárias registrado até agora.

Os números de sábado (14) e sexta-feira (13), que registrou 645.410 diagnósticos da doença, ultrapassaram o recorde anterior de 614.013 reportado em 7 de novembro.

Dentro dos números deste sábado (14), 269.225 novos casos, ou seja, cerca de 40%, correspondem somente à região das Américas.

Segundo os registros da OMS, mais 53,7 milhões de casos da doença foram confirmados desde que foi declarada a pandemia de COVID-19, enquanto mais de 1,3 milhão de pessoas perderam suas vidas.

O diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou na sexta-feira (13) que ainda há "um longo caminho" para controlar a expansão do vírus em nível global.

"Não há dúvida de que a vacina será uma ferramenta vital para controlar a pandemia de COVID-19, e nos sentimos encorajados com os resultados preliminares dos testes clínicos divulgados esta semana".

"Nunca na história houve um progresso tão rápido no desenvolvimento de uma vacina. Devemos aplicar a mesma urgência e inovação para assegurar que todos os países vão se beneficiar dessa conquista científica".

As 9.928 mortes registradas pela OMS na quinta-feira (12), somadas às 9.567 de sexta-feira (13) e 9.924 de sábado (14), marcaram a primeira vez que mais de 9.500 óbitos foram registrados em três dias consecutivos.

Os números de quinta-feira (12) foram os mais altos desde os 10.012 óbitos registrados em 15 de agosto.

"Nenhum país pode dizer que estava bem preparado para a COVID-19, ou que não há lições a aprender", disse Tedros na sexta-feira (13) durante o encerramento da assembleia anual da OMS, na qual os Estados-membros aprovaram uma resolução para fortalecer a prevenção para emergências de saúde.

Apesar de ter louvado o rápido progresso para a descoberta de uma vacina segura e efetiva, Tedros alertou que ainda há um longo caminho e insistiu que o vírus poderia ser contido sem a existência de uma vacina.

"O mundo não pode colocar todos os ovos na mesma cesta e negligenciar as muitas outras ferramentas que estão à disposição... e são efetivas para colocar o vírus sob controle", disse.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала